Vacinação contra Poliomielite e Sarampo

Vacinação contra Poliomielite e Sarampo

Campanha de vacina continua com mais um dia D para as crianças de  1 a 5 anos de idade em todos os postos de saúde da Cidade de São Paulo. De 6 a 31 de agosto. Leve seus filhos para se vacinarem.

A vacinação é um direito de todas as crianças e um dever de todos os pais.

 

Sobre as doenças

O que é poliomielite?

A Poliomielite, também chamada de pólio ou paralisia infantil é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas infectadas e pode chegar a provocar paralisia. Nos casos graves, em que acontecem as paralisias musculares, os membros inferiores são os mais atingidos.

A doença permanece endêmica em três países: Afeganistão, Nigéria e Paquistão, com registro de 12 casos. Nenhum confirmado nas Américas. Como resultado da intensificação da vacinação, no Brasil não há circulação de poliovírus selvagem (da poliomielite) desde 1990.

 

O que é sarampo?

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, transmitida pela fala, tosse e espirro, e extremamente contagiosa, mas que pode ser prevenida pela vacina. Pode ser contraído por pessoas de qualquer idade. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade da doença, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. Em algumas partes do mundo, a doença é uma das principais causas de morbimortalidade entre crianças menores de 5 anos de idade.

Mitos e verdades 

 

1. As doenças evitáveis por vacinas estão quase erradicadas em meu país, por isso não há razão para me vacinar.

MITO

Embora as doenças evitáveis por vacinação tenham se tornado raras em muitos países, os agentes infecciosos que as causam continuam em circulação em algumas partes do mundo. Em um mundo altamente interligado, esses agentes podem atravessar barreiras geográficas e infectar qualquer pessoa que não esteja protegida. Em 2017, por exemplo, na Europa ocorreram surtos de sarampo em populações não-vacinadas (Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Espanha, Suíça e Reino Unido). A vacinação é essencial para que exista a continuidade no controle, eliminação e erradicação de determinada doença. Embora não ocorram casos de poliomielite no Brasil desde 1990, por exemplo, não quer dizer que a doença não exista em alguma outra parte do mundo, que não haja risco de vê-la novamente no país e que isso não se torne um grande problema de saúde pública, especialmente nas pessoas que não têm o esquema vacinal completo.

 

 

2. Há efeitos colaterais da vacinação em bebês e crianças.

VERDADE

As vacinas, assim como qualquer medicamento, apesar de serem muito seguras, podem, em raras ocasiões, causar eventos adversos, que podem ocorrer em qualquer idade. Eventuais reações, como febre, vermelhidão e dor local, podem ocorrer após a administração de uma vacina, sendo raros os eventos graves. Mas os benefícios da imunização são muito maiores que os riscos dessas reações.
A erradicação da varíola e a eliminação da poliomielite (paralisia infantil) no Brasil, por exemplo, foi alcançada com o uso de vacinas, comprovando sua eficácia em promover proteção com segurança.

3. Doenças infantis evitáveis por vacinas são apenas infelizes fatos da vida.

MITO

As doenças evitáveis por vacinas não têm que ser “fatos da vida”. A vacinação é uma medida que vem sendo adotada pelos países há muitos anos e tem sido responsável pelo controle, eliminação e erradicação de várias enfermidades, como sarampo, poliomielite, varíola e rubéola. Essas doenças podem levar a complicações graves em crianças e adultos, incluindo sequelas irreversíveis e óbito. Uma pessoa que não tenha sido vacinada contra a coqueluche, por exemplo, que é uma doença imunoprevenível, com alta transmissibilidade e que compromete especialmente o aparelho respiratório (traqueia e brônquios), pode apresentar febre, crises incontroláveis de tosse seca, congestão facial, falta de ar e vômitos, com possíveis complicações, como ruptura de diafragma, convulsões, hemorragia cerebral, entre outras manifestações graves. Dessa forma, quanto mais cedo for iniciada a vacinação na infância, mais cedo as crianças ficarão protegidas.

4. A vacinação infantil é muito importante.

VERDADE

Quanto mais cedo for iniciada a vacinação na infância, mais cedo as crianças ficarão protegidas. As crianças pequenas são as mais suscetíveis às doenças, uma vez que suas defesas imunológicas ainda não estão bem formadas.

 

Fonte: http://portalarquivos.saude.gov.br/campanhas/vacinareproteger/