Luiz Otávio e sua bronquite

O Charles, pai do Luiz Otávio, que esteve internado no Hospital Geral do Grajaú, contou pro Geral um pouquinho dessa experiência.  

“Na verdade, na primeira vez que ele teve esse caso de bronquite, quem trouxe ao médico foi a mãe dele, porque ela trabalha perto de casa. Agora eu que estou acompanhando, porque ele estava internado.

No dia que o Luiz Otávio passou mal, ele estava com a minha sogra, com bastante dificuldade de respirar. Ela levou ele pro AMA da Antonieta e acabaram transferindo ele para cá (HGG), porque a saturação dele tava baixa. Desde então ele está aqui fazendo inalação e aguardando até segunda ordem, pra ver se não tem um broncoespasmo, que é causado pela bronquite, mas, o porquê eu sei explicar. Os médicos explicaram com termos médicos, que dificilmente a gente entende. Aparentemente ele está bem, mas agora vamos ter que esperar até segunda ordem, seguir  o que o médico recomenda.

A saturação dele agora está melhor. Me explicaram também o que é saturação mas eu não entendi muito bem, não sei se tem a ver com a troca de oxigênio no pulmão. Quando ele chegou aqui tava 89,90 e a última vez que verificaram tava 97, que pra uma criança é boa, mas, tem que continuar em observação.”

Charles passou por uma situação que é muito comum, não entender o que o médico diz por causa de palavras difíceis. Por isso, vamos simplificar o que é saturação e broncoespasmo.

 

Saturação de oxigênio (SpO2) : a saturação está relacionada a quantidade de oxigênio circulando no sangue. Um nível baixo de saturação, portanto, pode ter muitas causas. Entre elas, um pode ser que esteja entrando pouco ar na inspiração, por alguma complicação respiratória, ou, porque o ar que entrou no pulmão é poluído, e acabam entrando substâncias indesejadas no pulmão que tomam espaço e dificultam o transporte de oxigênio, ou até mesmo danificam o próprio pulmão, e pode trazer outras complicações.

Mesmo sem ter entendido o que o médico disse, o Charles entendeu o que houve com o seu filho. A saturação indica quanto oxigênio tem no sangue, se ela está baixa é porque tem pouco oxigênio no sangue.

É importante, primeiramente, entender que todas as células do nosso corpo precisam receber oxigênio para se manterem vivas. A célula é a unidade mais básica da vida e, em seres aeróbios, que dependem do oxigênio para sobreviver, como nós, realizam o que se chama de respiração celular – uma complexa reação química que acontece em seu interior, que transforma o oxigênio, reagindo com glicose, em energia para a realização de suas funções específicas – sendo o CO2 um dos resultados dessa cadeia de reações. Se as células não recebem suficiente oxigênio, não terão energia suficiente para desempenharem suas funções, podendo até mesmo morrerem.

 

Sabendo da importância de que o oxigênio chegue às células, devemos também entender como isso é possível. Bom, sabemos que é por meio da respiração que conseguimos o oxigênio de que necessitamos. Inspiramos, pelo nariz ou boca, órgãos do sistema respiratório, a fim de obtermos oxigênio, e expiramos, também pelo nariz ou boca, a fim de retirarmos de nosso corpo gases dos quais não precisamos mais, que resultaram de reações químicas internas.

Respirar é muito importante pois garante a entrada do gás do qual tanto precisamos para sobreviver O2 (oxigênio), e a eliminação do que não precisamos, CO2 (gás carbônico). Porém, outra parte igualmente importante é a distribuição – e recolhimento – dos gases por todo o corpo. Essa tarefa é realizada a partir do que é chamado de sistema circulatório, que possibilita a circulação do sangue pelos vasos sanguíneos de nosso corpo.

Possibilitar a circulação e troca de gases e outros elementos é a principal função do sistema circulatório. Para que isso seja possível, deve chegar um vaso sanguíneo a cada parte de nosso corpo, possível a partir da ramificação das artérias e veias.

A saturação baixa significa que uma taxa de oxigênio menor do que a considerada saudável chega aos menores vasos sanguíneos e isso a longo prazo pode afetar outros órgãos do corpo. Níveis acima de 95% de saturação são considerados saudáveis, e abaixo de 90%, problemáticos.

O broncoespasmo, comumente conhecido como chiado no peito ou sibilo, pode ser definido como uma diminuição do calibre de uma parte das vias respiratórias, chamadas de brônquios, fazendo com que haja uma menor quantidade de ar nos pulmões.

Nas crianças, o broncoespasmo é um quadro característico da bronquite aguda e da asma e pode estar associado a sintomas de falta de ar, tosse seca e dor torácica. O tratamento varia de acordo com a gravidade do quadro, e pode envolver o uso de medicamentos como broncodilatadores, corticoides e eventualmente antibióticos, além de oxigênio e fisioterapia.

Ou seja, o broncoespasmo representa uma alta irritação dos brônquios em decorrência de um quadro de infecção, muco e catarro elevados.

As doenças nos dão a oportunidade de entender como o funcionamento de todo nosso corpo está conectado, além da importância de um bom funcionamento conjunto de todas as partes do corpo. A linguagem, assim como o sangue, é o que nutre nossa mente. Se somos impedidos de compreender o que está sendo dito, uma parte do conhecimento deixa de nos nutrir. O conhecimento nutre, não tenha vergonha de não ter entendido quando algo foi explicado e, muito menos, de perguntar novamente. Quem limita o acesso à informação limita o conhecimento, que é de todos. Pergunte!

Gostou da matéria? Tem alguma dúvida ou história para nos contar?  Escreva para o Geral na Saúde.

 

Fontes:

http://fhbmedical.com.br/saturacao-de-oxigenio-spo2/

https://pt.wikihow.com/Aumentar-a-Satura%C3%A7%C3%A3o-de-Oxig%C3%AAnio

→ Como lidar com a saturação:

http://www.hospitalinfantil.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=66

http://www.anatomiadocorpo.com/sistema-respiratorio/