Como lidar com asma?

 

Desde pequena tenho sintomas de asma, e tudo que vem com ela. Eu vivia no hospital, sempre com febre, falta de ar e muita vontade de vomitar. Conforme meu crescimento, as doenças foram evoluindo, a asma foi ficando cada vez mais forte, a bronquite sempre atacava e alergia também.

Entre meus 7 e 14 anos foi a pior fase da doença. Nos tempos de frio eu ficava sempre doente, e no calor também, ia sempre ao hospital me tratar, mas eram sempre os mesmos tratamentos: uma inalação e alguns remédios antialérgicos.

Hoje com 15 anos de idade não tenho tanto ataque de asma, mas os sintomas da alergia continuam fortes.

Mesmo não ocorrendo com tanta frequência, quando tenho ataque chego ficar internada, muito mal mesmo.

O que os médicos me dizem é que conforme a idade a doença vai ficando cada vez mais ausente, espero que isso aconteça comigo mesmo.

 

​​​​​​Afinal o que é Asma?

A asma é uma doença pulmonar inflamatória crônica (de longa duração), caracterizada pelo fechamento reversível dos brônquios (tubos que ligam a garganta aos pulmões, por onde passa o ar). Ou seja, o caminho que o ar faz desde seu nariz até o pulmão está congestionado por um inflamação, e por isso o paciente apresenta chiado, falta de ar, tosse seca e aperto no peito.

Muita gente confunde asma e bronquite. Diferente da asma, a bronquite tem como principais características a tosse e o catarro. Ela é aguda quando dura menos do que três semanas e, frequentemente, aparece após os resfriados. Se durar meses, torna-se crônica e geralmente é diagnosticada em fumantes de longa duração.

Embora o asmático possa apresentar tosse, as crises de chiado e falta de ar são predominantes. Não é verdade que a bronquite é mais leve e não se transforma em asma.

A grande maioria das crises de asma vem logo depois de infecções de vias respiratórias altas (gripe ou resfriado). Algumas crises podem ser desencadeadas por substâncias alérgicas (poeira, pelos ou saliva de animais, grama, mofo) ou irritantes (poluição, fumaça de cigarro ou lareiras, cheiros fortes). Pode acontecer também, ainda que não com tanta frequência que elas apareçam durante exercícios físicos ou após estresse emocional.

 

Se você tem asma, saiba que não está sozinho!

Dá uma olhada aqui no que já recebemos de histórias sobre asma no Geral.
Teve a história da Isabelle, da Carolina, do Bernardo e do Igor

Não é à toa que tanta gente tenha asma por aqui no Geral, atualmente a asma atinge cerca de 6,4 milhões de brasileiros acima de 18 anos, de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As mulheres são as mais acometidas pela doença: cerca de 3,9 milhões delas afirmaram ter diagnóstico da enfermidade contra 2,4 milhões de homens, ou seja, prevalência de 39% a mais entre o sexo feminino.

A PNS é o primeiro estudo que monitora a ocorrência da asma em adultos no País. “A doença é mais comum em crianças e tende a desaparecer, na maioria dos casos, com o desenvolvimento do sistema imunológico”, observa a diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Deborah Malta. 

Esperamos que, conforme disseram os médicos e a diretora Deborah Malta, sua asma desapareça, Laiza.

E você? Qual é a sua história sobre saúde? Vem contar pra gente!

 

Fontes:
https://www.hospitalsiriolibanes.org.br/hospital/especialidades/nucleo-doencas-pulmonares-toracicas/Paginas/asma.aspx
http://www.brasil.gov.br/editoria/saude/2015/01/asma-atinge-6-4-milhoes-de-brasileiros