Câncer: apenas uma fase

Apenas uma fase?

Sim e não. Pode parecer estranho começar um texto assim, mas no fim entenderão o porquê.

Não, não quero que tenham dó de mim. No entanto, muitos acabam se questionando, com o passar dos dias, “Mas por quê comigo e não com ele? Por quê?”

Como sempre, ouvimos desde pequenos nossos pais falando aquela famosa frase: “Filho, nada é por acaso nessa vida, tudo tem um motivo” e por aí vai.

Fui diagnosticado com câncer de testículo aos 23 anos, é um câncer raro que se dá geralmente em homens de até 40 anos.

Sim, de fato é uma experiência e ensinamento único que a vida dá através da quimioterapia de uma forma geral e estou aqui para tentar fazê-los refletir que não estamos doentes e sim em tratamento. Que isso é apenas uma fase de muitas pelas quais enfrentaremos ainda ao longo de nossas vidas.

Assim que pisei pela primeira vez na sala de quimioterapia, não vou mentir, achei que nunca fosse acabar aquela rotina diária de sessões longas de medicamentos endovenosos que me deixavam exausto no fim do dia, sem forças pra até mesmo conseguir subir um lance de escadas.

Porém, assim que veio o diagnóstico, foi tudo muito rápido para então dar entrada no protocolo a ser seguido. Daí em diante, tinha dias em que não queria falar com ninguém, nem com meus próprios pais e amigos, mas com o passar do tempo percebi que isso pelo que eu estava passando não era nenhum bicho de sete cabeças, assim como dito anteriormente, era apenas uma fase!

A partir daí, busquei muita fé e força nas mensagens enviadas, nos conselhos passados que recebi durante a vida, numa mesa de bar, escola, faculdade, clube. Esses sim foram estímulos para que eu seguisse em frente e ganhasse essa batalha.

Atualmente estou em fase de acompanhamento, com rotina normal.

É como disse. Apenas uma fase.