HGG: Aqui também tem alegria!

“O palhaço entrou no hospital porque a porta estava aberta.” – É com esta frase que se inicia a história dos Doutores da Alegria. Desde 1991 a organização leva alegria a crianças hospitalizadas, seus familiares e aos profissionais da área da saúde. As “intervenções besteirológicas” – como eles mesmos dizem – são realizadas em 14 Hospitais Públicos e o Hospital Geral do Grajaú (HGG) tem a honra de ser um deles.

No HGG, os Doutores da Alegria existem desde 2006. A iniciativa partiu da necessidade do Serviço Social e do interesse do próprio grupo de palhaços. Tal grupo é formado por atores graduados e pós-graduados em Artes Cênicas que têm a missão de minimizar o medo e a ansiedade da criança/mãe e tentar tirar um pouco do foco da situação da doença. Doutores da Alegria é uma organização sem fins lucrativos que é financiada por doações de pessoas e empresas.

Dra. Greta Garboreta e Dra. Juca Pinduca
Dra. Greta Garboreta e Dra. Juca Pinduca

A cada ano trocam-se os palhaços, permanecendo sempre duas duplas por hospital. É importante ressaltar que o foco dos Doutores da Alegria é somente infantil. No HGG as visitas acontecem toda 3ª e 5ª feira entre às 10h e 15h. Os palhaços passam pela Pediatria, Cirurgia Pediátrica e UTI Infantil. Antes de chegarem às crianças, os profissionais são orientados pela Equipe de Enfermagem sobre o clima e o quadro geral dos pacientes.

“A gente geralmente faz teatro em lugares convencionais, as pessoas vem nos ver. Aqui é um grande desafio, pois é um lugar onde as pessoas estão sofrendo, estão vulneráveis e nervosas. Não estão felizes como em um teatro.” – diz Juliana Gontijo, que participa do projeto desde 1998.

Em 2012, além da Juliana atuou também no HGG Sueli Andrade, que faz parte dos Doutores da Alegria desde 2006. “O trabalho (no hospital) alicerça nosso próprio trabalho de ator, de palhaço, de artista”, ressalta Sueli.

Para as atrizes, as experiências do trabalho realizado nos hospitais são levadas para outros projetos profissionais e também para a vida pessoal. “Esse tipo de teatro em hospital muda os seus valores de vida porque você se depara com realidades tão duras e tão difíceis que é impossível sair sem uma reavaliação do que é problema em sua vida”, complementa Juliana.

Os Doutores da Alegria enviam um relatório mensal com as experiências e fatos destacados no mês. Se o palhaço entrou no hospital porque a porta estava aberta, com certeza deixaremos nossas portas abertas para que eles entrem sempre!

Sobre Marina Manduca

Publicitária, amante da língua portuguesa, atualmente trabalhando na área da Comunicação Hospitalar.