Alzheimer, como lidar?

O Alzheimer pode acontecer com qualquer pessoa idosa de sua família, a qualquer momento, sem você nem desconfiar. Vou passar as orientações com a intenção de mencionar os primeiros sintomas e quando ocorre. Aprendi por experiência com minha avó,  Maria da Glória, que faleceu com 83 anos em agosto de 2014.

Os primeiros sintomas dela foram a confusão entre as palavras. Logo depois, repetia sempre o que falava e o que perguntava. No início era engraçado, achava que suas duas filhas mais jovens saíam para bater perna, mas na verdade elas já eram casadas. Foi crescendo mais e mais e passou a confundir seu filho mais novo com seu marido que faleceu. Achava que todo dia 18 do mês era seu aniversário.

Quando o Alzheimer estava na fase mais atacada, confundia suas filhas com irmãs. Não reconhecia todos os seus netos, só quem convivia mais com ela. Saía de sua própria casa, achando que não morava lá, saía para a rua à procura de sua residência. Enfim, muitas outras coisas aconteceram no decorrer do tempo. Mas o importante é que todos cuidavam dela com se fosse sua filha, sempre tinha revezamento de quem iria ficar o dia e a noite com Maria. Sempre fazíamos reuniões para discutirmos o assunto e como lidar com ela.

Se algum conhecido já aparentando ter seus 50 anos para cima prestar sintomas de perda de memória, dificuldade de linguagem, problemas ao saber qual é a data, entre outros sintomas, consulte um médico e se seu ente querido estiver com Alzheimer, o mais importante é estar presente em sua vida, pesquisando sobre o assunto, sempre ter paciência carinho e muita força.

Veja também:

Mal de Alzheimer – Cuidando de nossa avó (Geral na Saúde)

Doença de Alzheimer (Folheto do Ministério da Saúde)

Parkinson e o Cuidador (Texto do Geral na Saúde)

Guia Prático do Cuidador (Ministério da Saúde)