O olho de peixe é um excesso de pele, semelhante a um calo, que se forma nos pés e, em particular, entre os dedos, na ponta dos dedos e na sola do pé. 

O termo médico é tiloma e consiste em um espessamento duro ou mole da camada mais externa da epiderme, chamada de estrato córneo, e geralmente se estende às camadas da pele causando dor.

Ao contrário dos calos reais, o olho de peixe, é menor. Ele afeta apenas os pés, enquanto os calos podem se formar tanto nos pés quanto nas mãos. Ambos os sintomas são os mesmos. 

1. Causa do olho de peixe 

O olho de peixe geralmente se desenvolve devido a fricção constante e repetida, ou como resultado de forte pressão. Muitas vezes devido ao uso de sapatos novos ou desconfortáveis. 

As pessoas com maior risco de desenvolver esse tipo de tiloma são aquelas que:

  • Usam saltos ou calçados femininos muito apertados regularmente;
  • Ficam parados por muito tempo;
  • Praticam esportes;
  • Não amarram os sapatos;
  • Com uma deformidade particular;
  • Com ossos finos entre os dedos;
  • Com bursite;
  • Com dedos em martelo.

O aspecto comum de todos esses casos é a posição incorreta do pé dentro do sapato; o pé pode estar mais escorregadio ou comprimido com consequente fricção contínua ou maior pressão de uma parte dele, geralmente entre os dedos, onde o olho de peixe é mais frequentemente formado.

2. Sintomas 

O sintoma mais comum do olho de peixe é a dor, causada pelo aprofundamento do espessamento das camadas mais internas da epiderme, aquelas em contato com os agentes da dor. 

Os outros sintomas dolorosos e incluem:

  • Inchaço da área afetada
  • Dificuldade para caminhar
  • Dificuldade em ficar em pé por muito tempo 
  • Dificuldade em usar o calçado habitual 

Geralmente, o olho de peixe tem uma consistência dura e parece uma pequena protuberância, enrugada no centro. Em outros casos pode ter uma consistência mais macia e parecer esbranquiçada e áspera ao toque.

Pode afetar qualquer parte do pé, mas aparece com mais frequência nos espaços entre os dedos, principalmente entre o quarto e o quinto dedo. Nesses casos, junto com a dor, é possível que também ocorram infecções bacterianas ou fúngicas, pois é uma área mais frágil do pé por ser mais úmida, mais exposta à produção de suor e maceração.

3. Complicações 

Além da infecção bacteriana ou fúngica no caso do olho de peixe, é uma manifestação cutânea sem muitas complicações, não precisando alarmar muito e que pode ser tratado em semanas. 

Olho de peixe e diabetes

O olho de peixe pode se tornar a causa de complicações graves para aqueles que sofrem de diabetes. O olho de peixe em um diabético, devido à presença da má circulação sanguínea, poderia crescer. 

O paciente diabético pode não perceber imediatamente essas complicações, pois a condição pode estar associada a alterações do sistema nervoso que reduzem a sensibilidade à dor: na prática, mesmo na com cortes, feridas, queimaduras ou congelamento, o diabético pode não consegue sentir.

4. Quando consultar um médico 

Todos os diabéticos que têm um ou mais olhos de peixe devem consultar um médico para evitar possíveis complicações. Em qualquer caso, pode sempre consultar o seu médico para pedir conselhos sobre remédios e tratamentos quando os caseiros falham. 

Se o olho de peixe causa muita dor. O médico não terá dificuldade em diagnosticar. O olho de peixe é facilmente visível a olho nu e não requer nenhum exame particular para sua avaliação. 

Uma vez diagnosticada, é importante buscar as causas que provocaram sua formação, assim podendo tratá-la da melhor maneira possível e evitar que ela se repita.

5. Como acabar com o olho de peixe? 

O tratamento do olho de peixe baseia-se principalmente onde causa a dor que são consequência das repetidas fricções ou a forte pressão 

Uma vez eliminadas as causas, os possíveis tratamentos geralmente dão bons resultados em poucas semanas e incluem o uso de vários remédios naturais contra o olho de peixe na parte do pé. 

 

Existem muitos produtos no mercado que podem  reduzir o espessamento da pele causado pelo olho de peixe e, em alguns casos, até tentar preveni-lo. Alguns produtos podem atuar como almofadas protetoras contra atritos ou pressões do pé durante o movimento e favorecer uma posição mais confortável do pé, mesmo que sejam usados ​​sapatilhas femininas desconfortáveis. 

Entre esses remédios, lembramos:

  • Cremes hidratantes, como o creme de ureia; 
  • Escalda-pés quentes com bicarbonato;
  • Almofadas de dedos e palmilhas confortáveis para sapatos;
  • Separadores de dedos, assim evitando compressões;
  • Gel de anti-inflamação, à base de ácido salicílico.

Recomenda-se cuidado especial na presença de diabetes, doença dos nervos ou doença arterial, se a pele do pé for frágil, muito seca ou tiver feridas. Alguns  remédios disponíveis podem ser contraindicados. Um olho de peixe infectado muito dolorido, inchado, vermelho, com presença de pus, requer tratamento com antibióticos e sua remoção pelo médico. 

A remoção cirúrgica do olho de peixe pelo médico é uma opção quando outros remédios naturais não funcionam. É feito ambulatoriamente e o médico fará uma pequena incisão para remover o espessamento do calo. 

A retirada do olho de peixe deve ser feita única e exclusivamente pela mão de um profissional experiente: entrar em contato com outras pessoas, ou pior, tentar retirá-lo você mesmo, pode causar feridas e infecções.

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.