Um aracnídeo muito perigoso!!

Um certo dia, eu, minha mãe e meu irmão estávamos fazendo uma limpeza e organização de nossa casa. Limpamos e organizamos tudo: cozinha, sala, banheiro, garagem, enfim, tudo! Ao final estava apenas um último lugar da casa para limpar, a sala dos fundos. Varremos a sala, limpamos o chão e organizamos praticamente tudo, a única coisa que faltava era organizar os brinquedos e jogar fora os que não usávamos mais.

Foi nessa parte da organização, que eu fui o alvo desse aracnídeo muito perigoso: o Escorpião. Ele estava escondido nos brinquedos e me picou. Comecei a sentir minha perna queimar, fiquei passando a minha mão em minha perna pra tentar dar uma aliviada, porém, a dor e a sensação de que minha perna estava sendo queimada não passavam. Eu estava sentindo tanta dor que a única coisa que eu lembro era de estar em um táxi.

Me lembro de ter acordado já no hospital, com a dor e a sensação de que estava sendo queimado novamente, só que dessa vez sentia quase pelo corpo todo. Os médicos vieram até mim rapidamente e me deram uma injeção, que fazia com que o veneno parasse de agir em meu corpo. Mesmo depois do veneno ter parado de circular em meu corpo, eu ainda não conseguia andar. Toda vez que eu tentava dar um passo, eu sentia um choque muito grande em minha perna e logo em seguida, caía no chão. Fui para casa, mesmo ainda estando ruim. Acabei ficando uma semana de repouso. Enfim, hoje estou bem e consigo me mover…

Tomem cuidado com esse inseto, ele pode estar em qualquer lugar, a qualquer hora e momento.

escorpião  Drini (Pedro Sánchez)

Euller nos relatou sua experiência assustadora com uma picada de escorpião. Os escorpiões são considerados bichos peçonhentos, que são aqueles que produzem veneno e possuem uma maneira de passá-lo para sua vítima, através de picada ou mordida.

A picada por escorpião geralmente é seguida de dor ou formigamento no local e pode ser tratada com analgésicos dependendo da intensidade. A pessoa precisa ser observada por no mínimo 6 a 12 horas para ver se aparecem outros sintomas mais graves. O maior risco é em crianças menos de 7 anos e em idosos.

São sinais de gravidade os seguintes sintomas:

  • náuseas ou vômito;
  • suor excessivo;
  • agitação;
  • tremores;
  • salivação;
  • aumento dos batimentos cardíacos e da pressão arterial.

É de extrema importância procurar atendimento hospitalar o mais rápido possível, assim que levar a picada. Durante o socorro a pessoa deve se mover o mínimo possível. O membro atingido deve ser colocado numa posição mais elevada em relação ao corpo e o local da picada pode ser lavado apenas com água e sabão. Não é recomendável amarrar o membro acidentado, nem sugar o ferimento com a boca. Também não é indicada a aplicação de qualquer tipo de substância (pó de café, álcool, urina, entre outros) na lesão. Mantenha o paciente em repouso e será avaliado se precisa aplicar o soro anti-escorpiônico. Sempre que possível, deve-se levar o animal que provocou a picada ao serviço de saúde para que o mesmo seja identificado.

Vale lembrar, também, que é muito importante tomar cuidado ao mexer em locais com muitas coisas acumuladas durante muito tempo, aranhas, ratos e mesmo escorpiões podem estar vivendo nesses locais e ter contato direto com eles pode ser muito prejudicial à saúde. Para fazer limpezas, como essa que o Elleur fez com a família, utilize luvas, além de roupas e calçados que cubram todo o corpo e dificultem picadas e mordidas desses bichos.

Saiba mais sobre os escorpiões e como agir ao levar uma picada aqui.

Leia também essa notícia do Ministério da Saúde sobre como prevenir o aparecimento de animais peçonhentos.