Por que sentimos dor na barriga quando corremos?

 

Arthur dos Santos Sampaio e Kauan Christian Ferreira Mendes, ambos do CCA Curumins, nos escreveram perguntas bem parecidas:

“Por que quando a gente corre muito fica com dor no estômago?”

“Por que corremos muito e ficamos com dor na barriga?”

Vamos tentar entender um pouco melhor sobre o porquê isso acontece.

Essa “dor no estômago” ou “dor na barriga”, para os médicos e cientistas, tem um nome um pouco diferente; em inglês é chamada de ETAP (Exercise-Related Transient Abdominal Pain) o que, em português, ficaria como “Dor Abdominal Transiente (breve) Relacionada ao Exercício”

Em 2002 na revista americana Medicine & Science in Sports & Exercise (Medicina e Ciência em Esportes e Exercício ) os pesquisadores australianos Darren P. Morton e Robin Callister buscaram explorar os fatores que poderiam ter relação com essa dor.

Os pesquisadores se inspiraram em estudos que já tinham feito, que ajudaram a entender um pouco, mas não tudo sobre essa dor.

Decidiram investigar com maior profundidade a influência da idade, gênero, biotipo de corpo, condicionamento físico e tipo de exercício praticado para tentar entender melhor o motivo da dor.

O estudo se desenvolveu sobre dados coletados a partir da aplicação de um questionário que envolveu 956 pessoas praticantes de seis modalidades diferentes de esporte: natação, ciclismo, corrida, basquete, remo e hipismo.

O resultado do estudo, de modo geral, demonstrou que a ETAP é mais frequente nos jovens (menores de vinte anos), mas, que não tem relação marcante com o gênero ou índice de massa corporal. Em relação ao condicionamento físico, foi verificado que uma prática mais frequente de exercícios físicos reduz a frequência da dor, porém, uma pessoa que pratica muito esporte não está livre de senti-la, podendo ser tão forte como a sentida por alguém que pouco se exercita.

Ao contrário de outros estudos, que apontavam a respiração, o condicionamento físico ou a alimentação como fatores mais influentes, o estudo mencionado no post chegou a uma conclusão diferente. A partir de questionários, os pesquisadores verificaram uma frequência maior da ETAP em pessoas praticantes de hipismo e de corrida, em relação a uma baixa frequência no ciclismo e remo, por exemplo.

(torso humano)

Levando em conta os dados levantados, os cientistas chegaram a conclusão que a maior influência para a experiência da dor abdominal não é nenhuma das características que buscavam analisar ou que haviam sido levantadas por outros estudos. Segundo eles, o que mais estimula a dor são atividades que envolvem movimento repetitivo do torso, em uma postura na qual ele se encontra estendido.

Sendo assim, não é de se estranhar que crianças vira e mexe sintam e reclamem da dor abdominal. Correm muito e estão na idade mais suscetível a ela.
Em qualquer idade que seja, se sentir a dor, o recomendado é diminuir o ritmo do exercício e, se preciso, parar por um momento.

Não deixe que essa dor te desanime de praticar atividades físicas, seus benefícios à saúde são inúmeros! Se achar que sente a dor com uma frequência fora do normal, fale com alguém que entenda de exercícios físicos, como um profissional de Educação Física, ou vá a uma unidade de saúde.

 

Gostou do post? Quer adicionar algo? Tem uma história para nos contar?
Escreva para o Geral! Ficaremos muito felizes em receber!

 

Não conhece os biotipos?

 

Fonte

https://s3.amazonaws.com/academia.edu.documents/42060537/Factors_influencing_exercise-related_tra20160204-23454-kmikg2.pdf?AWSAccessKeyId=AKIAIWOWYYGZ2Y53UL3A&Expires=1541788982&Signature=GGzxhHiLvkGz68x6y5VuOndt1SA%3D&response-content-disposition=inline%3B%20filename%3DFactors_influencing_exercise-related_tra.pdf