O dia que em que eu levei ponto.

Um dia, quando eu tinha 10 anos de idade, no intervalo da escola, eu estava brincando de pega-pega com meus amigos. De repente veio uma menina correndo e esbarrou nas minhas costas.

Eu caí e bati a boca na coluna do pátio.

Na hora eu não senti dor nenhuma, mas depois começou a cair sangue da minha boca. A diretora viu e ligou para os meus pais, que me levaram para o hospital.

Entrei na sala, o médico me deu uma anestesia e falou que eu ia ter que tomar ponto. Minha mãe começou a passar mal dentro da sala, tamparam meu rosto pra eu não conseguir olhar minha boca e pra não me desesperar e nem dar algum problema. Tive que levar quatro pontos, dois por dentro e dois por fora.

 

O ponto é um recurso usado pelos médicos quando um corte é profundo, no qual o sangramento demora mais pra parar.

O ideal é levar a criança até o pronto-socorro mais próximo para avaliação médica. O tipo de curativo depende da localização, profundidade e extensão do corte. O médico também deve checar se a região afetada foi comprometida, por exemplo, se o machucado não deixa a criança mexer o dedo, para ter certeza de qual é a maneira correta de prosseguir com o tratamento.

Se você estiver longe de sua casa quando o ferimento ocorrer leve a pessoa machucada ao pronto-socorro mais próximo. O procedimento de suturar cortes é muito simples e os profissionais dos prontos atendimentos estão aptos a fazê-lo. Além disso, a rapidez é importante para que a cicatriz fique menor, o que significa que não vale a pena esperar horas para ir ao hospital de sua confiança e nem fazer um curativo temporário na farmácia.

Se você acha que levar ponto dói está muito enganado. Antes de iniciar a sutura, é aplicada anestesia, para que não se sinta nada. Depois, só será possível sentir o toque do médico durante o procedimento. Passado o efeito da anestesia, é raro sentir dor. Você pode pedir a indicação de um analgésico para caso isso ocorra. Alguns medicamentos aumentam o sangramento e não são adequados.