Mal de Alzheimer – Cuidando de nossa avó

Nosso correspondente jovem Leonardo Barroso Fernandes, 16, conta como foi a descoberta e como tem sido cuidar de sua avó, que recentemente descobriram ser portadora do Mal de Alzheimer.

Minha avó Maria Sonia, de 72 anos, é mãe de três filhas: Jackeline, Adriane e Gersandra.

Descobrimos que ela está com Mal de Alzheimer. Estavam acontecendo coisas com a minha avó que nunca aconteceram na vida dela: ela estava tendo esquecimentos, não estava lembrando mais de nada e nem de ninguém. Estávamos achando estranho, porque ela sempre foi muito ativa, alegre, agia normalmente, cuidou de mim, dos meus irmãos, dos meus primos e dos próprios irmãos dela. Ela cuidou de mim até os 11 anos – aí minha mãe parou de trabalhar e eu e meu irmão não íamos mais lá direto, porque agora dava para minha mãe cuidar de nós. Por isso, demorou um pouco para repararmos que minha avó tinha mudado, não era mais tão ativa, estava esquecendo de tudo, ficava nervosa etc.

Nós pensamos que era por causa da idade dela e que era assim mesmo, mas aí ela começou a ligar para minha mãe toda noite, dizendo que estava com falta de ar e muito nervosa, minha mãe ia buscar minha avó lá na casa dela e levava ela no hospital, mas os médicos diziam que não era nada. Minha mãe marcou uma consulta com vários médicos e descobrimos que ela estava com Mal de Alzheimer e também que não tinha cura, e que vai piorando conforme o tempo passa.

Ficamos abalados, mas nada de desanimar, porque se ela teve isso é porque era o destino dela. Os médicos só passaram remédios para desacelerar a doença, mas não há cura. Atualmente ela não consegue mais nem comer sozinha, para tudo ela precisa de ajuda e não reconhece mais ninguém, nem a minha mãe.

 

Saiba mais

info-mal-de-alzheimer_v2
Fonte: Brasil.gov

Doença de Alzheimer (Folheto do Ministério da Saúde)

Parkinson e o Cuidador (Texto do Geral na Saúde)

Guia Prático do Cuidador (Ministério da Saúde)