Opa, você disse sexo?!

Na adolescência sexo é um assunto que queremos abordar e descobrir de qualquer maneira. Quando tratamos nas rodas de amigos aprendemos e discutimos milhões de conteúdos, mas – quando passamos isso para nossos pais – a coisa muda. Por quê? Estamos em um tempo em que temos várias formas de mostrar a nossa opinião, mas quando o assunto sexo entra no bate-papo com os pais o constrangimento aparece: eles te olham, pedem para mudar de assunto e falam que você não tem idade para falar sobre isso.

Sim, o sexo é um assunto que aborda vários temas: sexo oral, sexo anal, masturbação, fantasias, posições, orgasmo etc. Mas quem disse que nós, adolescentes, não temos curiosidade para saber sobre esses assuntos? Estamos numa fase em que os hormônios estão à flor da pele e as opiniões falam alto, queremos descobrir e nos arriscar e quando não experimentamos alguma coisa que está à nossa volta, ficamos com mais vontade.

Quando estamos entrando na adolescência, dúvidas e desconfianças aparecem e você quer saber o que está acontecendo com a sua mente e seu corpo, para quem eu vou perguntar sobre sexo? Para a minha mãe? Meu pai? Não, melhor ficar calada!

Infelizmente, temos na nossa cultura um tabu sobre esse assunto, temos vergonha e ficamos inseguros de perguntar para qualquer pessoa. Temos medo e, por isso, perguntamos para os amigos, mas quem realmente deveria lhe trazer o tema são os seus pais, que são pessoas responsáveis, de confiança e que já passaram por várias situações. Lógico, eles também têm receio de responder, acham que somos novos, mas quando chegamos com uma dúvida queremos a resposta em segundos.

Tenho 16 anos e, mesmo tendo relações sexuais, tenho dúvidas que ainda não foram tiradas. Poderia falar disso com os meus pais, só que eles entram nesse tabu de não conversar abertamente sobre o assunto. O que os pais podem fazer para isso acabar? Simples, seja claro e objetivo com seu filho, mesmo que a resposta o surpreenda, ele já vai saber do tema e não te apresentar questionamentos. Não fuja do assunto, continue a conversa, seja direto e amigo do seu filho.