Desafio de Saúde Masculina: Conversa em família

Nosso correspondente Vinicius Porto de Souza, de 15 anos, mandou um texto muito legal para o Desafio de Saúde Masculina, onde ele conta uma conversa importante que rolou na família sobre fazer o exame para câncer de próstata. Confiram!

Primeiramente, quero dizer que não estou aqui apenas para disputar um par da camisa do Brasil oficial: gostei mesmo desse site, e espero ajudar a vocês, ou até os outros correspondentes daqui.

Bom, estou aqui de novo, mas agora vou falar do meu pai. Ele se chama Josenilton, mais conhecido como José, ele tem 43 anos e faz 44 em setembro. Meu pai não tem problemas de ir ao médico, até porque o pessoal daqui de casa é muito preocupado com a saúde de cada um cada um que convive aqui.

Meu pai não é um cara que fica doente por bobeira, ele sempre se previne. Por exemplo: se ele estiver tossindo diariamente, ele mesmo já desconfia e vai ao médico sem pensar duas vezes. Graças a Deus, meu pai não tem nenhuma doença grave. Mas ele está meio que sendo machista quando se fala do exame de  próstata. Essa parte, é a que a gente fica mais preocupado com ele, porque ele não sabe o quanto é grave se ele não fazer o exame, ele não entende a gravidade, e o risco que ele pode correr. Essa parte, ele chegou a ser muito teimoso em uma época. Mas foi só até que o dia em que minha mãe fez uma reuniãozinha aqui em casa para falar, e incentivar meu pai a fazer o exame de próstata, na qual  houve uma longa conversa entre nós daqui de casa.

Ao acabar a reunião, depois de um bom incentivo que a gente deu para ele, eu vi que ele ficou mais confiante, e também que ele com certeza ia conseguir deixar esse machismo dele de lado, até porque a saúde dele é mais importante.

Depois, no final da reunião, ele disse querer um tempo mais para pensar no assunto… não demorou muito para ele pensar, depois de uns três dias no máximo, ele disse que irá sim, querer fazer o exame de próstata. Em seguida, ele mesmo percebeu que seria importante  fazer isso, porque ele viu a gravidade do assunto, na qual tem até pessoas que têm câncer de próstata.

Em um dia, ele mesmo se encarregou de marcar os exames e uma consulta para a tão falada próstata… isso tudo, foi mais ou menos uns dois meses atrás. E a consulta está marcada já para o mês que vem, no mês 07.

No entanto, hoje ele está muito bem de saúde, não tá mais preocupado. E hoje ele é muito rigoroso quando fala da saúde do pessoal daqui de casa.

O preconceito é um problemão quando se fala em câncer de próstata, pois muitos homens têm vergonha de fazer o exame de toque retal. Por isso, ter uma conversa e o apoio da família, como no caso do pai do Vinicius, é muito importante! 

Em novembro de 2013, a Sociedade Brasileira de Urologia revisou o critério de realização de exames para o diagnóstico precoce do câncer de próstata: 45 anos para homens com casos da doença na família ou negros e 50 anos para os demais. Fique de olho nos homens da família e, quando o médico pedir a realização dos exames, dê seu apoio para ele fazer o exame.

 

Sobre Vinicius

Sou uma pessoa calma, sou também uma pessoa muito solidária, sempre gosto de ajudar aqueles que querem ser ajudados.