Menopausa: o que é, causas e formas de tratamento

menopausa

A menopausa se trata da última menstruação, um acontecimento que ocorre, na maioria das vezes, dentre o período de 45 e 55 anos. É chamada prematura ou precoce quando atinge mulheres antes dessa idade estipulada, por volta dos 40 anos. Grande parte das vezes, o termo menopausa é usado de forma errada, se referindo ao climatério, processo de transição do período reprodutivo, ou fértil, para o período não reprodutivo. Entretanto, a menopausa não está relacionada com esses indicadores, já que está relacionada a parada das menstruações.

São muitos os casos de mulheres em que a menopausa é identificada por anormalidades na menstruação, como a sua escassez, seu ciclo desregulado e hemorragias. Outros efeitos percebidos são ondas de calor; fogachos, mudanças quando a libido, humor e o sono, além do atrofiamento dos órgãos genitais que os sucede.

O que é menopausa?

As mulheres, diferente dos homens, nascem com um número pré-estipulado de óvulos que, ao iniciar a puberdade, são maturados e ejetados juntamente a menstruação, se tornando um embrião quando a reprodução tem o seu início. Essa quantidade pré-estabelecida de óvulos que determina a menopausa, uma vez que se acabam na última menstruação, em que o processo começa.

A pré-menopausa é identificada quando a mulher começa a perceber uma alternação na taxa hormonal em que os ovários são formulados. São esses hormônios os responsáveis pelos diversos sintomas dessa fase, podendo ser mais fortes em uma ou outra mulher, sendo que algumas podem passar por esse processo sem ao menos perceber alguma alteração característica. A pré-menopausa não possui um período físico e pode durar anos.

O período do climatério se trata compreende a pré-menopausa, a própria menopausa e a pós-menopausa, que perdura até final da vida da mulher, as tornando mais suscetíveis a enfermidades como a osteoporose e de problemas relacionados ao sistema vascular. A fase da pré-menopausa e da própria menopausa precisam ser acompanhadas por um médico ginecologista, uma vez que os hormônios sintetizados nos ovários podem influenciar até menos no desenvolvimento do câncer de mama.

Causas da menopausa

Os óvulos produzidos ao longo da vida da mulher são originados nas células germinativas de ovários que estão presentes desde o nascimento. Esses óvulos são utilizados da primeira à última menstruação. Logo, as células germinativas não podem ser formadas novamente, e a parti do momento que os óvulos são completamente liberados, os ovários perdem suas funções e os números de progesterona e estrogênio; hormônios femininos, caem bruscamente, sendo essa queda irreversível. Entre as demais causas da menopausa então os processos cirúrgicos ginecológicos, em que os ovários são retirados.

Diagnóstico da menopausa

Diagnóstico da menopausa

O diagnóstico da menopausa só pode ser realizado após a mulher ter passado no mínimo 12 meses sem menstruar. O diagnóstico do climatério, em contraste, considera os sintomas, o exame clínico e certos exames laboratoriais de sangue. Papanicolaou, ultrassom transvaginal, densitometria óssea e mamografia são exames complementares e que devem ser feitos com regularidade.

Sintomas

A menopausa e o climatério podem não possuir sintomas, contudo, a maioria das mulheres possuem sintomas já no começo do climatério, os quais sofrem alterações na intensidade devido a redução gradual dos hormônios sexuais femininos. Dentre os sintomas mais comuns estão:

  • Ondas de calor ou fogachos: se tratam de momentos repentinos de sensação de calor na região do rosto, pescoço e na superior do tronco, comumente ocorrem junto a um rubor na face, vertigens, fortes batimentos cardíacos, fadiga muscular e sudorese. Em caso de mais intensos, são capazes de limitar as tarefas do cotidiano;
  • Manifestações urogenitais: incidências como a de incontinência urinária, ressecamento vaginal, diminuição da libido, infecções urinárias e ginecológicas;
  • Sintomas psíquicos: a influência da diminuição da quantidade dos hormônios femininos na liberação de neurotransmissores essenciais para o bom funcionamento do sistema nervoso central; potencializando momentos de estresse, trazendo sintomas de depressão, distúrbios de ansiedade, insônia, labilidade emocional, melancolia e perda de memória;
  • Anormalidades no período dos ciclos menstruais e na quantidade da passagem de sangue;
  • Perda da massa óssea distintiva da osteopenia e da osteoporose;
  • Mudanças na estética e espessura da pele, unhas e cabeços (fraqueza), na distribuição de gordura corporal;
  • Maior risco a doenças cardiovasculares, tendo destaque para a doença coronariana.

Tratamento da menopausa

A terapia responsável pela reposição de hormônios possui a ação benéfica quanto aos sintomas físicos, psíquicos e aos que possuem relação com os órgãos genitais durante o climatério. Além desse motivo, há a função de proteção à osteoporose e a segurança de uma melhor qualidade e estilo de vida. Todavia, existem os riscos da ocorrência de trombose, distúrbios hepáticos, doenças cardiovasculares, sangramento vaginal sem causa aparente, endométrio e câncer de mama.

Segundo pesquisas relacionadas, a isoflavona de soja possui semelhança quanto a atuação de controle dos fogachos como o estrogênio. Porém, medidas simples como, o corte de maus hábitos; como o tabagismo e o alcoolismo, manutenção de cuidados quanto a saúde bucal e de uma alimentação saudável e equilibrada, juntas podem diminuir os efeitos negativos do climatério.

Orientações para antes e depois da menopausa

Tendo em vista que o climatério abrange a pré e a pós menopausa, existem certas recomendações dos médicos especialistas como: continuar as visitas ao ginecologista menos depois da menopausa; evitar o ganho de peso, a ingestão de álcool e o cigarro, mantenha uma alimentação saudável e uma vida ativa.

Essas orientações devem compreender todo o processo e são importantes para a promoção do bem-estar mesmo em um período tão complexo.A prática de atividades físicas é essencial para a sensação desse bem-estar, além de que com ela há a prevenção de doenças cardiovasculares, a diminuição das mudanças de humor, da osteoporose, além do controle da pressão arterial.

Existe ainda a perimenopausa, que abrange todo o período de mudança e perdura um ano após a última menstruação. Seja na transição menopausal (pré-menopausa), na perimenopausa e pós-menopausa, mantenha um estilo de vida saudável e as visitas regulares não só ao ginecologista, mas ao médico geral, é importante frisar que com a menopausa também vem a terceira idade, e nada melhor do que começar a melhor idade com a saúde em dia.

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *