Skip to content

O mau hálito, ou halitose, é um dos problemas mais comuns em relação a saúde da boca. É uma problemática muito desagradável para quem porta e para as pessoas em seu redor, podendo influenciar situações constrangedoras. As causas do mau hálito podem ser várias, entretanto, maus hábitos do cotidiano podem contribuir para esse acontecimento. A forma de tratamento do mau hálito é bem diferente da do tratamento de problemáticas como a herpes labial, sendo mais fácil de ser solucionado, saiba mais:

Quais maus hábitos podem favorecer a incidência do mau hálito?

Como dito, o mau hálito pode ser influenciado por maus hábitos mantidos no dia-a-dia, principalmente pela má higiene bucal. A falta de uma higienização correta e completa pode ser uma das influencias desse incômodo, sendo que a indicada compreende a escovação logo após refeições, juntamente com a passagem de fio dental e o uso do enxaguante bucal.

É importante ressaltar que a escovação deve ser feita com um creme dental com flúor, e o uso do enxaguante deve ser feito pelo ao menos uma vez no dia.

A halitose possui motivações centradas na boca, e externas a ela. Podendo, além da má higienização bucal, ser advinda da má alimentação, mudanças no fluxo de saliva; chamada xerostomia, e por influência do estresse.

Como evitar e tratar a halitose e manter um hálito refrescante?

Para se evitar a halitose, a boa e completa higienização bucal é a melhor solução, porém, outras formas como a manutenção de uma alimentação de qualidade, equilibrada e com a ingestão devida de fibras, e uma boa e regulada ingestão de água também são eficientes ações preventivas a esse problema.

Para quem já foi identificado com esse dano, procure por um odontologista de sua confiança. Esse profissional te avaliará e dará as direções com os cuidados necessários, dando orientações quanto a boa higiene bucal e uma boa alimentação, as relacionando com o caso.

Dependendo da situação, uma intervenção por meio de uma limpeza dental profissional pode ser necessária, além de uma profilaxia ou uma avaliação profunda das causas do mau hálito.

O mau hálito e suas outras possíveis causas

Existe um senso comum errado de que o mau hálito pode ter origem no estômago, entretanto, a verdade é que ele pode vir do biofilme lingual; placa bacteriana localizada no fundo da língua, ou por cáseos amigdalianos; formados dentro das amígdalas, ou por doenças na gengiva; gengivite e periodontite.

No entanto, existem cerca de 90 causas para o mau hálito, sendo algumas advindas de doenças sistêmicas; desenvolvidas na boca ou por causas raras. Ao identificar a halitose, busque imediatamente pelo seu odontologista de confiança para que o problema seja devidamente tratado e solucionado.

O diagnóstico e tratamento do mau hálito

O diagnóstico da halitose é realizado na clínica odontológica através de um questionário completo, colhendo informações desde o histórico da alimentação e o de exames clínicos e odontológicos, até a testes de saliva, estresse, e do hálito por aparelhos próprios.

É por essas informações colhidas que se é estipulada a forma de tratamento e que muito provavelmente incluirá fatores aqui abordados como, cuidados quanto a higienização bucal e alimentação. Demais medidas possíveis incluem o tratamento da baixa produção de saliva, requerendo certos exames laboratoriais e demais prescrições dependendo da causa do mau hálito.

As pessoas que sofrem com o mau hálito não conseguem identificá-lo sozinhas, uma vez que não conseguem sentir o próprio hálito. Isso se deve a um processo fisiológico denominado fadiga olfatória, em que nos calhamos a um odor especifico, e em caso haja constância, odores diferentes podem ser sentidos. Essa situação necessita que alguém do ciclo social fale com a pessoa e reforce a necessidade de um dentista.

Caso o paciente tenha uma certa desconfiança dessa incidência, é importante que pergunte a outra pessoa para confirmar e levar o caso ao dentista, refazendo a pergunta em diferentes partes do dia e conversando perto ou soprando para a melhor percepção.

Essa ação ajuda no fortalecimento da identificação e no diagnóstico preciso do dentista. Lembre-se da importância da intervenção desse profissional, uma vez que se o problema existe é por causa de algum mau hálito e irregularidade, e somente o especialista é capaz de apontar esses fatores com propriedade.

Play Video