Vivendo um dia de cada vez

Uma mãe, que está com a filha internada no Hospital Geral do Grajaú, deu um depoimento muito bonito sobre sua gravidez e todo o processo que viveu antes e depois do nascimento da criança. Confira a seguir:

Minha gravidez não foi planejada, mas foi muito desejada! Desconfiei da gravidez, pois eu estava me sentindo diferente, então resolvi fazer um teste de  farmácia e deu positivo, mas eu precisava ter certeza, então fiz um exame de sangue, que confirmou que eu realmente estava grávida da minha filha.

Fiz o pré-natal no posto de saúde próximo da minha casa. Fiz diversos exames e estava dando tudo normal, mas minha bebê não mexia. Então fiz uma ultrassom, a médica disse que a bebê estava pequena para 39 semanas e pediu que eu procurasse uma maternidade.

Fui para o Hospital do Grajaú, pediram que eu fizesse uma nova ultrassom. Foi decidido, então, que eu deveria fazer uma cesariana imediatamente, pois a bebê estava  sentada.

Assim que ela nasceu e eu olhei para ela, vi que algo não estava normal. Naquele momento fiquei desesperada. Minha filha teve que ir direto para a UTI, onde foi diagnosticada com Síndrome de Edwards.

Vivo cada dia como se fosse o último. Desde que ela nasceu tiro o leite para dar para ela, mas agora meu  leite está acabando, não consigo mais tirar a quantidade que ela precisa. A equipe do banco de leite aqui do Hospital do Grajaú é muito atenciosa, me apoia muito, as meninas do banco de leite são maravilhosas, me ajudam muito.

Minha filha ficou durante um mês na UTI, depois foi para o médio risco, mas hoje voltou para UTI e está no isolamento.

São Paulo, 10 de Maio de 2017.

A Trissomia 18, popularmente conhecida como Síndrome de Edwards, ocorre quando há um erro genético do cromossomo 18: a pessoa nasce com três cópias desse cromossomo, ao invés de duas. Diversos órgãos são afetados, o coração em especial, além de provocar nascimento prematuro e baixo peso do recém nascido.

Embora ela seja uma doença rara, é a segunda mais comum em termos de trissomia. A primeira é a Síndrome de Down. Mulheres que engravidam com mais de 35 anos estão mais suscetíveis a ter filhos com Trissomia 18 do que mulheres que engravidam mais cedo. É mais comum bebês do sexo feminino desenvolverem a doença, do que bebês do sexo masculino.

Como é uma doença genética, quando ocorre um erro na divisão celular, não é possível evitar que ela ocorra. Entretanto, é possível fazer exames para verificar se há pré-disposição genética nos pais para desenvolver a doença. O tratamento é planejado individualmente, de acordo com cada caso.