Gravidez de risco: toxoplasmose

A Fabiana, diretamente do Hospital Geral do Grajaú, conta sua história de uma gravidez de alto risco.

Minha vida adulta começou cedo: trabalho desde os 15 anos e aos 19 fiquei grávida. A sorte é que eu já tinha terminado de estudar. Minha família me deu o apoio necessário e a gravidez foi tranquila.

Quando minha filha, que hoje tem 10 anos, nasceu, minha sogra e mãe estavam ao meu lado. Logo depois de um ano, engravidei de um menino, também de surpresa, mas já estava com mais experiência.

A maior surpresa foi que havia pegado toxoplasmose na praia antes de engravidar. Houve um médico que disse que era alergia, mas pelo exame de sangue descobrimos o que era.

Foi um grande susto, porque o médico falou que o bebê poderia ter problemas. No entanto, no primeiro ultrassom vimos que o bebê estava bem. Mas eu fiquei com febre e pelotinhas na pele, peguei infecção generalizada e fiquei 15 dias na UTI em coma induzido.

Foi muito difícil deixar meu bebê de apenas um mês e 15 dias sozinho, parar de amamentar.

Hoje estamos bem, mas ter filhos tem seus prós e contras.

Saiba mais:

Toxoplasmose (Blog da Saúde)

Gestação de Alto Risco (Manual Técnico do Ministério da Saúde)