Minha crise de asma

Meu nome é Carolina e tenho asma leve.

Um dia tive muita falta de ar, não conseguia andar direito, porque ficava muito cansada, precisei ir ao posto de saúde. Chegando lá minha saturação (quantidade de oxigênio no sangue) tava muito baixa, por isso tive que ir para o hospital da USP. Lá fiz inalação, mas continuei com falta de ar. Algum tempo depois fiz outra inalação, mas novamente não resolveu, os médicos decidiram, então, que eu deveria ficar em observação e tive que ficar com oxigênio. Como o hospital estava muito cheio fui para um hospital que tinha convênio médico.

Assim que cheguei no novo hospital tive que ser internada. Fiquei lá por 3 semanas e todo dia de manhã eu tinha que tomar uma injeção na barriga. Era uma sensação muito estranha, porque eu nunca tinha tomado injeção na barriga, mas depois me acostumei. Também tinha que ficar com soro na veia e era muito ruim, pois não conseguia sair da cama direito. Com o passar dos dias fui melhorando aos poucos, até que os médicos me deram alta. Eu fui para minha casa, mas não podia ir para a escola, porque não estava totalmente recuperada.

Depois de 1 semana voltei para a rotina que sempre tive e uso as bombinhas corretamente para não ter que ser internada novamente. Essa foi a única crise de asma que tive, mas que valeu por todas, porque ficar 3 semanas no hospital não é nem um pouco agradável! Mas até que passou rápido, porque estava bem acompanhada dos meus pais e minhas tias.

 

A asma é uma doença crônica que já atinge 6,4 milhões de pessoas, acima de 18 anos, no Brasil. No mundo, este número chega a 300 milhões, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS). Os principais sintomas são dificuldade respiratória/falta de ar, tosse seca, chiado ou ruído no peito e ansiedade.

Os problemas ocorrem porque os brônquios do asmático são mais sensíveis e tendem a reagir quando a pessoa se expõe aos diferentes desencadeadores da doença: frio, mudança de temperatura, fumaça, ácaros ou fungos, ou cheiros fortes. Veja na figura, mais abaixo, o que acontece no pulmão durante uma crise de asma. As vias aéreas se fecham e o ar não consegue fluir normalmente, então a pessoa se sente sufocada e com dificuldade de respirar.

São necessários alguns cuidados especiais em relação aos fatores desencadeadores da doença, afim de prevenir as crises: manter tapetes, cortinas e colchas de cama sempre higienizados; animais de estimação também podem levar a reações alérgicas; é preciso evitar roupas de lã; e em época de chuva, é necessário ficar atento a presença de mofo e infiltração na casa.

Ainda que não tenha cura, existem tratamentos e medicamentos específicos que diminuem os sintomas da asma. É muito importante ir ao médico para fazer o diagnóstico, feito isso será indicado o melhor tratamento.

Saiba mais sobre asma nesta Dica de Saúde da Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde e nesta matéria sobre a pesquisa nacional feita pelo MS também sobre este assunto. 

 

Clique na imagem para vê-la em uma resolução maior.

asma