Dicas para cuidar da saúde bucal na terceira idade

cuidados com a saúde bucal na terceira idade

Cuidar dos dentes e da boca é fundamental desde o começo de nossas vidas, de modo a prevenir doenças e manter um sorriso de qualidade. Entretanto, os cuidados com a saúde bucal na terceira idade devem ser ainda mais expressivos, visto sensibilidades que podem surgir.

De modo geral, seja quando crianças, jovens ou adultos, o organismo tende a estar mais forte. 

Para isso, no entanto, principalmente ao abordar a saúde bucal, é preciso considerar os cuidados diários, como os hábitos alimentares (que não podem ser deficitários), ou mesmo a existência de vícios em bebidas e tabaco, prática de exercícios físicos, entre outros.

Isso porque os vícios, manias e hábitos determinam a resistência do corpo e a qualidade da saúde de modo geral. Mais ainda, esses cuidados contribuem – ou não – para uma melhor resposta do corpo a longo prazo, promovendo mais saúde mesmo na terceira idade.

Entretanto, quando a pessoa atinge uma certa idade, especialmente a partir dos 60 anos, é natural que o organismo costume apresentar maiores dificuldades e há mudanças significativas no corpo e hormônios.

Ou seja, os anticorpos já não são mais os mesmos, os órgãos não funcionam da mesma maneira e, com isso, qualquer problema que surge pode ser agravado, além de outros se mostrarem mais facilmente devido ao trabalho “mais lento” do metabolismo.

Como a saúde bucal tem total ligação com o funcionamento do organismo, é fundamental que, nessa idade, os cuidados sejam redobrados, visando evitar que problemas na cavidade surjam e se agravem.

Quais cuidados precisam ser redobrados?

Geralmente, uma boa higienização bucal consiste em uma escovação de qualidade, sendo que o ideal é realizá-lo sempre após as refeições, também priorizando a limpeza noturna.

Além disso, o uso do fio dental e cuidado com os alimentos que são consumidos são cruciais para o fortalecimento da estrutura, bem como a água para hidratar a mucosa, principalmente nessa fase que a boca tem tendência a ficar mais seca.

Utilizar enxaguantes bucais como elemento complementar nesses cuidados, reforçando a limpeza e mantendo a boca hidratada também se mostram fundamentais para a higienização correta, preservando a cavidade.

Desse modo, na terceira idade, esses cuidados devem ser reforçados. Inclusive, a escovação deve ser realizada com frequência e da maneira recomendada, recorrendo aos produtos voltados para a fase, conforme as necessidades identificadas pelo profissional.

Exemplo disso, são os produtos que podem vir a ser necessários em uma perda dental, de modo a manter a qualidade dos implantes e dentaduras. 

Vale destacar ainda que o processo de escovação deve ser feito com mais calma. Isso porque, com o passar do tempo, a gengiva fica retraída e mais sensível, o que pode deixar exposta a raiz do dente ou facilitar sangramentos.

Dessa maneira, é importante que a escovação seja mais devagar e com cuidados reforçados para não machucar essa região.

Os hábitos alimentares também devem mudar. Mesmo que, durante toda a vida, as pessoas tenham hábitos alimentares bastante prejudiciais, é importante mudar essa condição e passar a ter uma alimentação mais saudável e regulada. 

O mesmo vale para aqueles que já tem uma refeição mais balanceada, estimulando mais o cardápio com frutas e vegetais, por exemplo.

Pessoas que já tiveram problemas na boca, especialmente no dente e na gengiva, precisam prestar ainda mais atenção nesse sentido. 

Por conta da debilitação do organismo e, consequentemente, dos dentes, não ter esses cuidados pode significar perder toda a arcada dentária, afinal, os nutrientes necessários para o fortalecimento da estrutura, bem como aqueles que favorecem a proliferação de bactérias se encontram nos alimentos.

Nos casos de perda dental, pode ser necessário um implante dentário para repor os dentes perdidos, ou mesmo pode ser preciso recorrer ao uso de dentaduras mais complexas.

Doenças graves

Durante toda a vida, as pessoas precisam buscar atendimento odontológico para receber recomendações e realizar tratamentos bucais para manter a saúde dos dentes.

É muito comum, por exemplo, que as pessoas passem por problemas de estruturação nos dentes, tendo que realizar tratamentos ao longo prazo, como utilizar um aparelho ortodôntico para correções estruturais. 

Entretanto, conforme a idade vai avançando, o grau de gravidade das doenças também tende a aumentar, principalmente se os cuidados necessários não forem tomados, justamente pela fragilidade do organismo.

O que poderia ser uma simples inflamação na gengiva, em um certo momento da vida, pode se tornar uma periodontite, que é uma doença séria, que afeta a gengiva e os dentes. 

Mais ainda, o câncer de boca, por exemplo, que é uma doença extremamente grave, pode atingir essa parte da população mais idosa, sendo um de seus potencializadores a má higienização bucal, que pode ser comprometida até pela dificuldade na movimentação.

Como essa doença está associada a hábitos ruins e a falta de cuidados com a saúde bucal, ele acomete principalmente quem é mais velho, muito por conta do longo período desses hábitos errados. 

Assim, a regularidade no acompanhamento profissional também é um fator que demanda atenção, de modo a realizar as limpezas de forma mais profunda.

Consultas com regularidade

O acompanhamento com dentistas é fundamental durante toda a vida, seja para a manutenção adequada de um aparelho de dente ou mesmo na avaliação de rotina, para limpezas e aplicação do flúor, por exemplo.

Além disso, são esses os profissionais que sabem exatamente os cuidados e tratamentos que as pessoas precisam receber para ter uma boca saudável e os dentes bem estruturados, identificando possíveis ofensores no decorrer do acompanhamento.

Mesmo que, quando mais novos, surjam problemas na arcada dentária, os dentistas podem estipular quais são os melhores tratamentos, se é necessário o uso de aparelhos, ou se é preciso uma cirurgia para retirar uma cárie ou se existe a necessidade de utilizar uma lente de contato dental.

Na terceira idade, esse acompanhamento é ainda mais importante. Como já dissemos, por conta da fragilidade do corpo, as doenças que aparecem na boca ou nos dentes podem se agravar.

Mais ainda, por conta da redução do fluxo salivar muito comum nessa idade, inflamações e cáries se tornam mais propensas. Assim, a manutenção diária e profissional deve ser feita de forma mais cautelosa e frequente.

Dessa forma, com um acompanhamento com especialistas regularmente, os idosos podem receber recomendações mais específicas dos cuidados que precisam ter, os hábitos que precisam ser modificados, entender melhor sobre as complicações, como evitar, além de prevenir doenças com hábitos mais saudáveis e recomendados.

Além disso, caso necessário, eles podem solicitar diversos tratamentos, desde procedimentos estéticos, como clareamento dental, até cirurgias para resolver alguma situação mais problemática ou incômodas com a devida segurança.

 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações, dicas e conteúdos ricos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Recommended Posts