Saiba como acabar com o bigode chinês

O processo de envelhecimento nem sempre é bem aceito por homens e mulheres, em especial, quando afetam o rosto de forma evidenciada. Um desses sinais é o bigode chinês, que é facilmente corrigido com tratamentos estéticos.

O bigode chinês é o nome popular dado a linha que surge do nariz e se direciona até o lábio, em termos médicos sua denominação é sulco nasogeniano.

Ela passa a ser mais evidenciada a partir dos 30 anos, quando a firmeza da pele começa a enfraquecer. Ou seja, é um dos primeiros sinais do envelhecimento facial.

É impossível impedir o envelhecimento de ocorrer. Entretanto, é muito fácil retardá-lo e é justamente isso que a medicina estética propõe.

Existem diversos tratamentos que colaboram no combate ao bigode chinês, veja os mais conceituados a seguir!

Como evitar o sulco nasogeniano?

Criar uma rotina de cuidados com a pele do rosto é imprescindível. Uma das formas de evitar o surgimento do bigode chinês é com medidas preventivas, como o uso de filtro solar diariamente, uso de cremes e /ou dermocosméticos indicados por um dermatologista.

Tratamentos estéticos faciais feitos por esteticistas também colaboram para evitar que o bigode chinês apareça e se acentue.

Os peelings mecânicos ou químicos, como o peeling de diamante, colaboram na estimulação da produção de colágeno e podem ser feitos junto a limpeza de pele, uma vez a cada 45 dias, em média.

Exercícios faciais também ajudam a minimizar os primeiros traços do bigode chinês. Entretanto, é necessário comprometimento para que ocorra o resultado esperado.

Como tratar quando o bigode chinês já apareceu?

Como mencionado, parar o processo do envelhecimento natural da pele é impossível. Por isso o bigode chinês tende a fazer parte do visual de milhares de pessoas.

Uma das formas de tratar quando ele se mostra bem marcado é por meio do uso dos preenchedores faciais, como o que usa ácido hialurônico, por exemplo.

O preenchimento facial com ácido hialurônico caiu no gosto dos brasileiros devido ao seu efeito imediato, mínima chance de reação adversa, efeito natural  e durabilidade relativamente alta.

O preenchimento do bigode chinês com ácido hialurônico pode durar 12 meses, sendo que ele colabora na estimulação da produção de colágeno e elastina, fazendo com que a região tratada ganhe um viço diferente.

Já tiveram relatos de pacientes que demoraram mais de 12 meses para refazer o tratamento de combate ao bigode chinês, uma vez que a restauração do colágeno, somada a cuidados externos na pele, retardaram de forma significativa o reaparecimento do sulco nasogeniano.

Cirurgião plástico ou dermatologista?

Os dois profissionais são capacitados a tratar de forma efetiva o bigode chinês. Enquanto o dermatologista ajuda na prevenção e trata a pele da face como um todo, o cirurgião plástico dá um resultado “mais rápido”.

Para isso o paciente deve se submeter a uma cirurgia de lifting facial, procedimento cirúrgico de média complexidade e com excelentes resultados. O tratamento pode ser complementado com o uso de preenchedores e da toxina botulínica, o popular Botox®.

Como mencionado, o bigode chinês pode ser prevenido e tratado com o auxílio da medicina estética. Para isso, consulte-se com um dermatologista e crie uma rotina de cuidados bem detalhada.

Paralisia facial: saiba mais sobre o tema

Paralisia facial

Os procedimentos odontológicos em que é utilizado um sedativo pode levar à paralisia facial momentânea, podendo durar de uma a 12 horas. A aplicação do produto ocorre para que o paciente não sofra nenhuma dor durante a visita ao dentista, anestesiando os nervos.

Contudo, esse caso se trata de uma paralisia controlada e que não apresenta riscos, mas existem diversos fatores que podem acarretar em uma paralisia facial, precisando ser entendida e controlada.

Por exemplo, em casos mais graves, uma lesão nos nervos pode fazer com que a pessoa perca os movimentos do rosto. Os músculos da face ficam flácidos, dando o aspecto caído, e fracos, interferindo em diferentes aspectos e sensações. 

Inclusive, no caso da paralisia de Bell, como também é conhecida a paralisia facial por lesão de um nervo, diversas funções ficam prejudicadas, entre elas:

  • Controle da saliva bucal;
  • Interferência na sensação palativa;
  • Canal lacrimal sem controle;
  • Perda de movimento muscular do rosto.

Ou seja, são funções importantes e que podem ser recuperadas, desde que o paciente passe por um tratamento adequado e faça visitas regulares a profissionais da área da saúde, inclusive dentistas.

Clínicas formam rede ampla de atendimento

As pessoas que são acometidas por esse tipo de problema de saúde podem ser assistidas por um profissional da área da odontologia. 

Se o paciente tiver acesso a um convenio odontológico, ele vai passar por diversos especialistas da área, conforme a extensão da rede de atendimento de clínicas conveniadas, tendo um atendimento completo e multidisciplinar.

Durante a consulta com o profissional, o paciente pode indicar quais os problemas que podem originar a paralisia facial, contribuindo para seu controle.

O dentista pode perceber o problema a partir da dificuldade que o paciente tem ao falar, o piscar de olhos, e indicar se há dores na região da mandíbula e junto às orelhas.

Outras situações que podem ajudar na detecção da origem da paralisia facial está em situações distintas, que podem ser identificadas pelo profissional para o atendimento prévio. Entre elas estão:

  • Perda do paladar;
  • Dor de cabeça constante;
  • Excesso de salivação;
  • Espasmos musculares.

Conforme o tipo do plano odontológico contratado, pode haver a cobertura de todos os custos, inclusive com a formalização de parceria com outros setores da saúde, como clínicas médicas e redes farmacêuticas.

Dessa forma, o paciente que paga mensalmente o plano e pode contar com um retorno adequado quando surge a necessidade de utilizar os benefícios que esse tipo de prevenção oferece.

No caso de não haver uma cobertura expressa, pode ser solicitado junto a operadora e clínica a realização dos tratamentos. Assim, pode haver a liberação para o quadro específico ou ainda o ressarcimento do valor despendido.

Ajuda de custo descontada no holerite

As empresas podem oferecer um plano odonto empresarial aos funcionários para que eles possam fazer visitas regulares ao dentista sempre que possível, o que otimiza e contribui para a qualidade do tratamento, bem como com a realização de medidas de prevenção.

Esse cuidado com o trabalhador é justificado de diversas formas. 

Quando um colaborador se sente acolhido e respeitado, ele possui mais interesse em trabalhar na empresa, e sabe que, se precisar, terá um atendimento adequado sempre que possível, sentido-se valorizado e mais tranquilo quanto aos imprevistos que podem surgir..

Assim, no caso de uma paralisia facial, haverá uma melhor assistência e garantia de cuidados.

Inclusive, uma das primeiras perguntas feitas pelo profissional que vai fazer o atendimento será qual o cargo e a função em que a pessoa trabalha. Dependendo da resposta, pode ser um ponto de partida para o tratamento mais adequado, e adequação das rotinas.

O plano odontológico empresarial pode ser pago em parte pelo contratante e parte pelo contratado, pois assim ambos são beneficiados. 

Da parte corporativa, as empresas conseguem um desconto interessante quanto ao custo quando é feito de maneira conjunta. 

Para os funcionários, o valor é muito menor se o plano fosse pago à parte, como pessoa física, garantindo o tratamento correto para a paralisia sem impactar no orçamento e trazendo mais segurança para esse momento.

Profissionais autônomos podem ter um plano 

Não são apenas as empresas e corporações que podem oferecer um convênio odontológico para os funcionários. O mercado oferece plano dental para MEI (Micro Empreendedor Individual), com as mesmas vantagens.

Tudo vai depender da assistência que será paga, pois há diferentes categorias que podem ser contratadas por meio de uma corretora de seguros. 

Com isso, são oferecidos desde atendimentos simples, como tratamento de cárie e limpeza dentária, até aqueles que atendem pessoas com problemas de paralisia facial ou precisam de um acompanhamento de longo prazo, como no caso de uso de aparelhos ortodônticos.

Outros profissionais auxiliam no tratamento

Além da área da odontologia, um paciente com problema de paralisia facial deve ser acompanhado por outros especialistas, entre eles um fisioterapeuta, um fonoaudiólogo e um otorrinolaringologista.

Em um trabalho conjunto, a recuperação do movimento muscular e recuperação do nervo lesionado pode ser trabalhada de melhor forma.

Os profissionais da área de odontologia ajudam na redução de inflamações que podem atingir toda a via oral, principalmente por estar próximo ao nervo responsável pela mobilidade do rosto. 

A saúde da gengiva, dos dentes, do palato e da língua ajudam a reduzir os danos de uma paralisia facial, proporcionando aos pacientes uma vida livre e, principalmente, sem dores.

Assim, o paciente pode ter sua recuperação estabelecida com tranquilidade, segurança e qualidade, promovendo bem-estar no decorrer do processo de tratamento multiprofissional.

 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações, dicas e conteúdos ricos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Dicas para cuidar da saúde bucal na terceira idade

cuidados com a saúde bucal na terceira idade

Cuidar dos dentes e da boca é fundamental desde o começo de nossas vidas, de modo a prevenir doenças e manter um sorriso de qualidade. Entretanto, os cuidados com a saúde bucal na terceira idade devem ser ainda mais expressivos, visto sensibilidades que podem surgir.

De modo geral, seja quando crianças, jovens ou adultos, o organismo tende a estar mais forte. 

Para isso, no entanto, principalmente ao abordar a saúde bucal, é preciso considerar os cuidados diários, como os hábitos alimentares (que não podem ser deficitários), ou mesmo a existência de vícios em bebidas e tabaco, prática de exercícios físicos, entre outros.

Isso porque os vícios, manias e hábitos determinam a resistência do corpo e a qualidade da saúde de modo geral. Mais ainda, esses cuidados contribuem – ou não – para uma melhor resposta do corpo a longo prazo, promovendo mais saúde mesmo na terceira idade.

Entretanto, quando a pessoa atinge uma certa idade, especialmente a partir dos 60 anos, é natural que o organismo costume apresentar maiores dificuldades e há mudanças significativas no corpo e hormônios.

Ou seja, os anticorpos já não são mais os mesmos, os órgãos não funcionam da mesma maneira e, com isso, qualquer problema que surge pode ser agravado, além de outros se mostrarem mais facilmente devido ao trabalho “mais lento” do metabolismo.

Como a saúde bucal tem total ligação com o funcionamento do organismo, é fundamental que, nessa idade, os cuidados sejam redobrados, visando evitar que problemas na cavidade surjam e se agravem.

Quais cuidados precisam ser redobrados?

Geralmente, uma boa higienização bucal consiste em uma escovação de qualidade, sendo que o ideal é realizá-lo sempre após as refeições, também priorizando a limpeza noturna.

Além disso, o uso do fio dental e cuidado com os alimentos que são consumidos são cruciais para o fortalecimento da estrutura, bem como a água para hidratar a mucosa, principalmente nessa fase que a boca tem tendência a ficar mais seca.

Utilizar enxaguantes bucais como elemento complementar nesses cuidados, reforçando a limpeza e mantendo a boca hidratada também se mostram fundamentais para a higienização correta, preservando a cavidade.

Desse modo, na terceira idade, esses cuidados devem ser reforçados. Inclusive, a escovação deve ser realizada com frequência e da maneira recomendada, recorrendo aos produtos voltados para a fase, conforme as necessidades identificadas pelo profissional.

Exemplo disso, são os produtos que podem vir a ser necessários em uma perda dental, de modo a manter a qualidade dos implantes e dentaduras. 

Vale destacar ainda que o processo de escovação deve ser feito com mais calma. Isso porque, com o passar do tempo, a gengiva fica retraída e mais sensível, o que pode deixar exposta a raiz do dente ou facilitar sangramentos.

Dessa maneira, é importante que a escovação seja mais devagar e com cuidados reforçados para não machucar essa região.

Os hábitos alimentares também devem mudar. Mesmo que, durante toda a vida, as pessoas tenham hábitos alimentares bastante prejudiciais, é importante mudar essa condição e passar a ter uma alimentação mais saudável e regulada. 

O mesmo vale para aqueles que já tem uma refeição mais balanceada, estimulando mais o cardápio com frutas e vegetais, por exemplo.

Pessoas que já tiveram problemas na boca, especialmente no dente e na gengiva, precisam prestar ainda mais atenção nesse sentido. 

Por conta da debilitação do organismo e, consequentemente, dos dentes, não ter esses cuidados pode significar perder toda a arcada dentária, afinal, os nutrientes necessários para o fortalecimento da estrutura, bem como aqueles que favorecem a proliferação de bactérias se encontram nos alimentos.

Nos casos de perda dental, pode ser necessário um implante dentário para repor os dentes perdidos, ou mesmo pode ser preciso recorrer ao uso de dentaduras mais complexas.

Doenças graves

Durante toda a vida, as pessoas precisam buscar atendimento odontológico para receber recomendações e realizar tratamentos bucais para manter a saúde dos dentes.

É muito comum, por exemplo, que as pessoas passem por problemas de estruturação nos dentes, tendo que realizar tratamentos ao longo prazo, como utilizar um aparelho ortodôntico para correções estruturais. 

Entretanto, conforme a idade vai avançando, o grau de gravidade das doenças também tende a aumentar, principalmente se os cuidados necessários não forem tomados, justamente pela fragilidade do organismo.

O que poderia ser uma simples inflamação na gengiva, em um certo momento da vida, pode se tornar uma periodontite, que é uma doença séria, que afeta a gengiva e os dentes. 

Mais ainda, o câncer de boca, por exemplo, que é uma doença extremamente grave, pode atingir essa parte da população mais idosa, sendo um de seus potencializadores a má higienização bucal, que pode ser comprometida até pela dificuldade na movimentação.

Como essa doença está associada a hábitos ruins e a falta de cuidados com a saúde bucal, ele acomete principalmente quem é mais velho, muito por conta do longo período desses hábitos errados. 

Assim, a regularidade no acompanhamento profissional também é um fator que demanda atenção, de modo a realizar as limpezas de forma mais profunda.

Consultas com regularidade

O acompanhamento com dentistas é fundamental durante toda a vida, seja para a manutenção adequada de um aparelho de dente ou mesmo na avaliação de rotina, para limpezas e aplicação do flúor, por exemplo.

Além disso, são esses os profissionais que sabem exatamente os cuidados e tratamentos que as pessoas precisam receber para ter uma boca saudável e os dentes bem estruturados, identificando possíveis ofensores no decorrer do acompanhamento.

Mesmo que, quando mais novos, surjam problemas na arcada dentária, os dentistas podem estipular quais são os melhores tratamentos, se é necessário o uso de aparelhos, ou se é preciso uma cirurgia para retirar uma cárie ou se existe a necessidade de utilizar uma lente de contato dental.

Na terceira idade, esse acompanhamento é ainda mais importante. Como já dissemos, por conta da fragilidade do corpo, as doenças que aparecem na boca ou nos dentes podem se agravar.

Mais ainda, por conta da redução do fluxo salivar muito comum nessa idade, inflamações e cáries se tornam mais propensas. Assim, a manutenção diária e profissional deve ser feita de forma mais cautelosa e frequente.

Dessa forma, com um acompanhamento com especialistas regularmente, os idosos podem receber recomendações mais específicas dos cuidados que precisam ter, os hábitos que precisam ser modificados, entender melhor sobre as complicações, como evitar, além de prevenir doenças com hábitos mais saudáveis e recomendados.

Além disso, caso necessário, eles podem solicitar diversos tratamentos, desde procedimentos estéticos, como clareamento dental, até cirurgias para resolver alguma situação mais problemática ou incômodas com a devida segurança.

 

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Qualivida Online, site no qual é possível encontrar diversas informações, dicas e conteúdos ricos sobre os cuidados com a saúde física e mental.

Como é feita a remoção de pintas?

remoção de pintas

Lesões planas ou elevadas, e com pigmentação variada, as pintas (ou nevos melanócitos) fazem parte do nosso corpo. A maior parte das pessoas apresenta várias: sejam de nascença ou adquiridas ao longo da vida por muito tempo à exposição solar ou como consequência de um tratamento médico. A remoção de pintas, contudo, existe para tratar pacientes em que a mancha passa a ser um problema.

Existem maneiras de se analisar se é, de fato, necessário fazer a remoção de pintas. Doenças mais graves, como infecciosas ou oncológicas, podem se manifestar primeiramente através de alterações visíveis na pele. Observar o próprio corpo e modificações pouco usuais no mesmo é sempre uma ótima forma de prevenção.

Manchas na pele: prevenção e tratamento

A remoção de pintas acontece quando algumas dessas manchas tão comuns no nosso corpo evoluem e ficam às vias de se tornar um câncer de pele. Para tanto, examine com frequência alterações nas suas pintas ou o surgimento de novas.

Os médicos costumam avaliar se o sinal no corpo é prejudicial ou nocivo através de uma técnica conhecida como regra ABDCE. Ela também pode ser utilizada para você fazer observações no seu próprio corpo em casa antes de buscar ajuda médica.

  • Assimetria: quando a pinta se divide em duas metades que não “se casam”;
  • Bordas: quando as pintas se apresentam dentadas, com sulcos, de maneiras irregulares;
  • Cores: pintas mais convencionais possuem uma pigmentação uniforme. As incomuns mesclam tons de marrom, preto, vermelho, azul ou branco.
  • Diâmetro: pintas maiores do que 0,5 centímetros;
  • Evolução: crescimento rápido de uma pinta ou modificações em sua aparência.

Como funciona os procedimentos de remoção de pintas?

Existe uma técnica conhecida como cirurgia micrográfica de Mohs, recomendada para lesões na pele de tamanho maior – ela envolve a remoção tanto do tumor quanto da margem de segurança, utilizando uma cureta.

Analisado por microscópico, o material removido demonstra se é necessário que o médico continue fazendo a curetagem, até que não haja mais a presença de células cancerosas na pele do paciente. Essa cirurgia é mais comum em lesões que apareçam em regiões sensíveis, tais como o rosto, de maneira a preservar tecido saudável e evitar grandes desfigurações ou cicatrizes.

Já nos casos de lesões menos agressivas, existe outra técnica de remoção de pintas. Uma delas é criocirurgia, que congela a pinta com o uso de nitrogênio, sem a necessidade de corte. Todavia, a taxa de cura é inferior à da excisão (mais comum).

A curetagem e a eletrodissecação são técnicas para que a lesão seja raspada com cureta e bisturi elétrico, destruindo as células cancerosas. Há também a cirurgia a laser, que pode ser feita com erbium YAG ou laser de CO2. É uma alternativa para pacientes que apresentem problemas de coagulação sanguínea, uma vez que o procedimento não traz sangramentos.

Como a remoção de pintas é um tema com muitas variáveis, se você está com alguma dúvida sobre aparecimento de manchas na sua pele, não hesita em buscar ajuda profissional. Entre em contato com o consultório da Dra. Maria Claudia e agende uma consulta e avaliação.

Descubra 5 mitos sobre a rinoplastia

mitos sobre a rinoplastia

A rinoplastia é um procedimento cirúrgico feito na estrutura nasal do paciente, tanto por motivos estéticos quanto também para a melhora de sua respiração.

Em alguns casos, o paciente pode estar realizando a rinoplastia estética junto do método funcional, encontrando a solução para ambos em apenas um procedimento.

Ainda que seja um procedimento relativamente simples em seu conceito, ainda podem existir diversos mitos e dúvidas acerca da rinoplastia. Conheça os principais a seguir!

  1. A rinoplastia deixa cicatrizes?

É importante que o pacienta tenha conhecimento de que toda intervenção cirúrgica deixa cicatrizes. Entretanto, principalmente no caso da rinoplastia, o cirurgião realiza a cirurgia de como que a cicatriz fique oculta dentro do próprio nariz. Sendo assim, não haverá cicatriz aparente.

Em outros casos, entretanto, existem cicatrizes externas pouco aparentes, como consequência de incisões feitas na columela, ou nas asas nasais, para harmonizar melhor o resultado. Em qualquer um dos casos, o cirurgião sabe da preocupação dos pacientes, e procurando realizar incisões discretas e que acompanham os traços naturais do indivíduo.

  1. A rinoplastia é uma cirurgia dolorosa?

A rinoplastia é uma cirurgia praticamente indolor, realizada no paciente sob o uso de anestesia geral ou sedação intravenosa junto de anestesia local.

Entretanto, no pós-operatórios pacientes podem sentir algum incomodo ou mal-estar na região nasal em consequência da intervenção cirurgia, em que também é comum a aparição de hematomas e edemas.

Pode ser necessário o uso de medicamentos para aliviar a dor e o mal-estar, mas estes devem ser apenas administrados por prescrição médica.

  1. Trata-se de uma cirurgia de longa duração?

Normalmente, a rinoplastia leva em torno de 2 ou 3 horas para ser feita.

Caso o paciente esteja realizando outro procedimento em conjunto, pode acontecer um aumento significativo na duração da cirurgia, especialmente quando consideramos as individualidades e alterações necessárias.

O tempo de internação estimado após o procedimento é de 12 a 24 horas. A internação é necessária para que o cirurgião observe quaisquer alterações significativas no paciente. Caso tudo ocorra bem, o indivíduo pode ser liberado no mesmo dia.

  1. Com a rinoplastia, pode-se obter qualquer tipo de nariz que o paciente desejar?

Com a rinoplastia, é possível realizar mudanças significativas na estrutura e aparência do nariz. Entretanto, o cirurgião plástico irá realizar as alterações sempre respeitando as individualidades do paciente, priorizando a sua harmonia facial.

A rinoplastia deve ser apenas uma opção a ser considerada quando seja um desejo do paciente motivado por si próprio e não por terceiros, em que as expectativas devem ser realistas, evitando comparações.

  1. A rinoplastia deixa o nariz com uma aparência artificial?

Uma das principais preocupações acerca da rinoplastia é sobre os resultados que podem ser obtidos.

Com o avanço da tecnologia, o resultado que se obtém a partir deste tipo de intervenção é altamente natural. As alterações seguem protocolos rigorosos, respeitando os traços naturais de cada paciente, para que possa resultar em uma maior harmonia.

Os resultados da rinoplastia tem como principal objetivo a melhora na aparência e na proporção do nariz, buscando melhoras que enalteçam a beleza natural de cada um.

Como manter a saúde da boca em dia?

Como manter a saúde da boca em dia

A nossa zona bucal possui várias funções importantes, a ponto de a saúde bucal se relacionar diretamente com a saúde geral. Logo, manter os cuidados necessários com a boca em dia são essenciais na prevenção de danos que podem afetar todo o organismo.

Além de funções como a respiração, a mastigação e a fala, a boca também é morada e porta de entrada de bactérias e microrganismos que podem ser nocivos à saúde.

Os bons hábitos e a higienização correta e completa dessa região são capazes de barrar e prevenir que essas complicações ocorram. As visitas regulares ao dentista também fazem parte de uma ação preventiva eficiente, com procedimentos como o aparelho ortodôntico.

Conheça os cuidados com a saúde bucal que você deve manter em dia:

Uso diário do fio dental

O uso do fio dental muitas vezes é subestimado e deixado de lado na rotina. Entretanto, sua passagem é essencial para a manutenção da saúde bucal, já que retira os resíduos de alimentos que não são capazes de serem retirados pela escovação.

Desse modo, o uso desses alimentos deve ser diário, acompanhando uma das escovações. Com esse hábito, ao remover os restos entre os dentes e perto da gengiva, se previne a formação e as eventuais evoluções das placas bacterianas.

Uso diário do enxaguante bucal

Assim como o fio dental, o enxaguante bucal também é muitas vezes ignorado na hora da higienização e é igualmente importante. É o enxaguante, o responsável por reduzir as manchas deixadas no esmalte do dente por alimentos e bebidas bem pigmentadas, como o café.

Os bochechos, quando diários, têm como efeito a redução da percepção dessas manchas e as evitam, uma vez que otimizam a limpeza bucal.

No entanto, a sua ausência no cotidiano favorece que a acidez dos alimentos danifique ainda mais a proteção dos dentes, favorecendo a formação de cáries, halitose, e até mesmo a perda de parte da dentição.

Cuidados com a escovação

A escovação, mesmo que esteja presente no nosso dia-a-dia, muitas vezes não é feita da forma correta, perdendo assim os seus benefícios.

A escovação deve ser precisa e alcançar toda a arcada com os seus movimentos circulares. A escova deve ser trocada após 3 meses de uso e conter as cerdas macias, para não machucar a gengiva e perfurar o esmalte do dente, evitando a sensibilidade.

Quanto ao creme dental, ele deve conter flúor, já que é esse componente que possui a função de eliminar as bactérias, prevenir a sua proliferação, fortalecendo o esmalte da arcada dentária.

O creme dental, por sua vez, pode conter benefícios adicionais, como branqueamento, redução da sensibilidade e controle do tártaro.

Higiene bucal noturna

Durante a noite, a higienização deve ser ainda mais considerável. Dormir sem realizá-la não é uma opção, já que é durante a noite de sono que a boca se torna um local ainda mais acessível a ação de bactérias nocivas, já que é quando a salivação diminui.

Portanto, para evitar a incidência de cáries e demais doenças, escove bem os dentes, a língua, e previra esse horário para fazer o uso do fio dental e do enxaguante.

Dieta saudável e equilibrada

Uma boa alimentação também está relacionada com a saúde bucal, isso se deve ao fato de que são os alimentos açucarados e ricos em amido as principais causas da formação das placas bacterianas e cáries, já que grudam facilmente na arcada.

Logo, não deixe de realizar a escovação entre os intervalos das refeições e beba muita água para que as impurezas possam se desgarrar.

Priorize uma dieta que tenha base em alimentos saudáveis e nutritivos, que são capazes de fortalecer o organismo, e assim, a estrutura dentária.

Visita periódica ao dentista

Por fim, as visitas ao dentista são extremamente importantes, já que fazem possível que o profissional identifique possíveis danos que possam comprometer a saúde bucal em sua fase inicial, impedindo que se evoluam.

Com esse diagnóstico e avaliação geral, o dentista também poderá identificar a necessidade da realização de algum procedimento, como a profilaxia, a limpeza profissional que deve ser feita a cada 6 meses.

É só tomando essas medidas que a saúde bucal é mantida e o seu sorriso ficará em dia. Tenha em mente que esses cuidados são decisivos e impedem que males possam também atingir seu corpo, como diabetes e doenças cardiovasculares.

05 dicas de como manter a saúde na infância e na adolescência

saúde na infância e adolescência

Os cuidados com a saúde não devem ser influenciados pelo passar do tempo e do ganho de idade. Logo, as medidas para a manutenção da saúde não devem ser limitadas apenas a adultos e idosos.

Crianças e adolescentes também precisam ter bons hábitos no dia-a-dia. Indo desde a prática regular de atividades físicas, com a alimentação, e a amamentação no caso de bebês e recém nascidos, a saúde não se baseia apenas na medicação e no uso do paracetamol.

Conheça os demais cuidados com a saúde que se deve ter nos primeiros anos da vida:

Dieta saudável

A infância e adolescência costumam ser marcadas com a ingestão de alimentos gordurosos e ricos em açúcares em grande quantidade. No entanto, esse costume pode colaborar com a incidência de uma série de complicações, como a obesidade.

As complicações à saúde originadas da ausência de uma dieta baseada em alimentos saudáveis e nutritivos. Uma alimentação equilibrada é essencial para o bom desenvolvimento e para impedir o aparecimento de complicações futuras à saúde.

Com isso, uma alimentação equilibrada, rica em vegetais, legumes e frutas colabora para com a ação preventiva e o bom funcionamento do organismo da criança e do adolescente. Evitar o consumo de açúcar e sal em excesso por esses alimentos é uma ótima forma de começar.

Boa noite de sono

A qualidade do sono é de extrema importância, ainda mais na fase inicial da vida. As constantes brincadeiras, e a constante queima de energia com as atividades lúdicas comuns nessas fases, são repostas justamente na hora de dormir.

É por meio de um bom descanso que se é possível recarregar não apenas as energias, mas também o bom humor. Distúrbios mentais como a depressão e a ansiedade podem ser prevenidos por meio de um sono regulado.

Para uma boa noite de sono deve-se preocupar com o ambiente, a sua luminosidade e o conforto. Evitar contato com eletrodomésticos, objetos que tirem a sua concentração e evitar alimentos pesados momentos antes de se deitar são medidas para o repouso ideal.

Um distúrbio do sono quando identificado, deve ser tratado o quanto antes, recorrendo a ajuda psicológica.

Prática regular de atividade física

A prática regular de atividade física também deve ser um hábito desde os primeiros momentos da vida. Mesmo que com brincadeiras, a atividade esportiva possui seus benefícios particulares à saúde, já que promovem o movimento de todo o corpo.

Modalidades completas, como o futebol e a natação, podem ser a opção ideal para começar um estilo de vida ativo. Os benefícios desses esportes vão desde o fortalecimento muscular e da perda e controle do peso, até a otimização dos sistemas do organismo, como o imunológico.

As atividades físicas podem atuar não só na saúde física, mas também na mental. A prática de atividade física combate diretamente sintomas do estresse e também ajuda como distração a pensamentos considerados “tóxicos”.

Atividades de fins artísticos também são capazes de promover a saúde mental, tendo como exemplo as aulas de dança, pintura e música.

Visita regular ao médico

A visita regular ao pediatra/médico é essencial para a manutenção da saúde da criança e do adolescente. É por meio dessa ação preventiva que se combate desde o início da vida, doenças que podem perdurar até a vida adulta.

Logo, quanto mais cedo o diagnóstico for realizado, mais chances de o problema ser resolvido, e melhor a qualidade de vida. Assim, os sintomas também podem ser tratados de forma precoce, permitindo que as doenças sejam controladas e não atinjam o seu estágio grave.

É por meio da avaliação feita pelo médico, “check-up”, que se é capaz de identificar as complicações à saúde, e prescrever o tratamento ideal para que não haja maiores danos.

Vacinação em dia

As vacinas, juntamente com as visitas ao médico, são a principal ação preventiva às doenças. Portanto, o calendário de vacinação deve ser utilizado como um guia, fazendo que as vacinações sejam tomadas periodicamente como se deve.

É com a vacinação em dia que o organismo jovem estará protegido de uma série de complicações causadas por bactérias e viroses.

É importante que uma vez atrasadas, as vacinas que estão em falta sejam tomadas. Existem vacinas para serem tomadas até mesmo perto da fase adulta, fazendo com que seja ainda mais necessário o acompanhamento e apoio dos pais.

06 formas de cuidar da saúde mental no dia-a-dia

cuidar da saúde mental

Por causa da constante agenda lotada de compromissos e as várias responsabilidades do dia-a-dia, muitas vezes deixamos de lado os cuidados com a nossa saúde mental.

Assim como a física, a nossa mente necessita de cuidados cotidianos e que possam refletir na sensação de bem-estar e na melhora da autoestima, que por sua vez não depende apenas de procedimentos estéticos, como o invisalign.

No entanto, é por simples atitudes adicionadas na rotina, e mudanças no modo de ver a vida que a saúde mental é conservada. Conheça algumas dessas atitudes e posicionamentos que fazem a diferença.

Organizar o tempo

Saber planejar e organizar o tempo é essencial para evitar o estresse e o mau-humor frequente. Assim como se deve ter tempo suficiente para sanar os compromissos se deve ter tempo para momentos de lazer.

Ter tempo para fazer o que gosta combate diretamente pensamentos autodestruitivos, e assim distúrbios mentais como a depressão. São os bons momentos os responsáveis por trazer relaxamento, tranquilidade, e positividade a percepção de mundo.

Manter bons relacionamentos

Dentro dos momentos de lazer, sair com os amigos, entrar em grupos e aulas de fins esportivos, aumentar o ciclo social e melhorar as relações também ajuda a ver a vida com mais otimismo.

A sociabilidade e a interação que ela promove é a principal forma de combater o sentimento de solidão e a angústia do dia-a-dia. As relações, quando boas, são construtivas e são capazes de nos distrair dos problemas do dia-a-dia.

Investir em hobbies

Partindo do conceito de investir no que gosta, os hobbies são extremamente importantes para o melhor aproveitamento dos momentos de lazer e para as melhores escolhas.

A prática de exercícios físicos também está relacionada à saúde mental, e com ela, há diversas modalidades que podem ser exploradas, de acordo com o seu perfil. Desde a musculação e o futebol, até a natação e a caminhada, os benefícios permanecem.

Técnicas como yoga e pilates também estão são boas opções, assim como os jogos online e a música. O que te faz bem deve ser levado em conta e pode ser adicionado na lista.

Investir em uma boa playlist

A música possui uma grande importância em nosso emocional, influenciando fortemente na saúde mental.

Uma boa playlist animada, por exemplo, pode ser a energia necessária para momentos que geram certo desconforto e desânimo. Já uma playlist calma, pode ser a dose de calmaria e de relaxamento necessária em momentos desagradáveis.

Assim como escutar música, se envolver com ela também pode ser bastante prazeroso, seja cantando, dançando ou participando de sua composição e produção. A música também é arte, e a arte é emoção e sentimento.

Estilo de vida saudável

Os bons hábitos de uma vida saudável, como a prática regular de atividade física, também estão ligados à manutenção da saúde mental. Os cuidados com a saúde física também atuam no psicológico, uma vez que nosso corpo é interligado.

Assim como os esportes, uma dieta equilibrada e nutritiva e uma boa hidratação são capazes de manter a sensação de bem-estar, e assim, de diminuírem o índice de irritabilidade, melhorar o raciocínio e a memória.

A autoestima e autoconfiança também são frutos da aceitação e de uma melhor relação com o corpo e mente. Uma vida mais positiva e menos angustiante é a fórmula ideal para a prevenção de desequilíbrios emocionais e dos distúrbios mentais.

Visitas regulares ao psicólogo

Assim como as visitas ao médico fazem uma parte importante da ação preventiva a complicações à saúde, assim é com as idas às clínicas de psicologia. É consultando com um profissional que passamos a ter um amplo conhecimento de sua situação emocional e psicológica.

Nas sessões com o psicólogo esse profissional ajuda no processo de autoconhecimento e no desenvolvimento da inteligência emocional. É por meio da inteligência emocional que conseguimos filtrar a positividade de nossas vivências.

O melhor desempenho do cérebro, da capacidade de raciocínio e memória também está ligada com as flutuações de humor, e como reagimos aos problemas. Procurar ajuda profissional é fundamental para a melhora da performance mental.

Logo, é visando equilíbrio e harmonia que conseguimos manter a saúde mental em meio ao nosso cotidiano. Seja no âmbito pessoal ou profissional, cuidar do psicológico é capaz de trazer mais leveza aos nossos relacionamentos e momentos da vida.

Saiba a hora certa de começar se preocupar com os dentes de seu filho

Saiba a hora certa de começar se preocupar com os dentes de seu filho

Ao longo do desenvolvimento da vida o corpo passa por intensas transformações, e uma das mais importantes são as que ocorrem nos dentes. Afinal, há a passagem de uma primeira dentição, em seguida, sua troca, até chegar a velhice.

O cuidado com os dentes na fase da infância é crucial para que o adolescente, o futuro adulto e consequentemente idoso, tenha uma vida bucal muito saudável.

Entretanto, muitos pais, por acreditarem que as crianças possuem dentes de leite não precisam de acompanhamento do médico dentista, deixando este cuidado para os dentes permanentes e futuros tratamentos como o de aparelho inivisivel preço.

Contudo, a atenção à dentição dos pequenos é fundamental, e no presente artigo abordaremos a importância desse acompanhamento e qual o momento certo para o início do acompanhamento com um odontopediatra.

Entendendo a odontopediatria

Como vimos o acompanhamento dentário deve ser feito desde pequeno, nos primeiros anos de vida, para garantia de uma vida bucal saudável e com menos intervenções cirúrgicas e substituições como os implantes dentários.

O acompanhamento das crianças ao dentista permite que os pequenos desenvolvam hábitos de higiene bucal que são potencializados pelos pais. Isso garante que as crianças tenham um relacionamento bastante equilibrado com os dentes e a boca, evitando inúmeras doenças.

O médico dentista que acompanha as crianças no início da dentição até o início da adolescência é conhecido como odontopediatra.

A odontopediatria é exercida por um médico dentista que se especializou no atendimento infantil de bebês, crianças e adolescentes até os 12 anos.

A odontopediatria é uma especialização que o médico faz assim como o dentista que se encaminha para a área de produção de prótese sobre implante dentario.

O acompanhamento do odontopediatra é fundamental para que as crianças desenvolvam uma relação saudável com a boca, sendo ensinadas a higienizar de forma correta os dentes, evitando doenças.

O profissional é capacitado para lidar com as crianças, para que se sintam seguras, confortáveis e sem medo, fazendo com que a ida ao dentista seja bastante agradável, e ao chegar à vida adulta, podendo se sentir bastante tranquilo para fazer procedimentos estéticos mais arrojados como a colocação de lente de contato dental.

A seguir falaremos sobre quando deve-se levar os bebês na primeira consulta no dentista e quais são os principais momentos da vida da criança ao longo da sua primeira dentição.

Quando levar as crianças pela primeira vez ao dentista?

Existem variadas fases que a criança deve passar ao longo da vida, e as consultas ao odontopediatra são indispensáveis. Alguns desses momentos são:

  • Antes dos dentes nascerem;
  • Aparecimento dos primeiros dentes;
  • Troca dos dentes de leite;
  • Problemas bucais.

Abaixo falaremos com mais detalhes sobre alguns desses momentos que são tão importantes para a vida da criança.

1.   Antes dos dentes nascerem

Sim, a primeira ida ao odontopediatra deve ser antes dos dentes da criança nascer, inclusive, antes mesmo do bebê nascer. Isso porque há recomendações com a saúde bucal que a mãe deve ter para evitar cáries que podem causar problemas ao feto.

Assim que a criança nasceu é necessário marcar uma consulta ao profissional, para que dúvidas quanto a mamadeiras e chupetas sejam tiradas, além de dicas de alimentação para o bebê e também para os pais para evitar doenças e problemas bucais.

Antes dos dentes nascerem é preciso limpar as gengivas entre 2 às 3 vezes por dia com pano úmido, e assim que ocorrer a primeira erupção do dente de leite é preciso que seja feita a higiene com produtos específicos.

2.   Nascimento dos primeiros dentes de leite

Os primeiros dentes de leite surgem com 6 meses, e a consulta ao odontopediatra é fundamental, para verificar se ocorre o nascimento de forma correta e adequada.

Se for identificado problemas de desvio nos dentes é possível já começar um pequeno tratamento corretivo, evitando problemas futuros.

A dentição completa se encerra aproximadamente aos 3 anos

3.   Troca dos dentes de leite

Na troca de dentição é fundamental que haja acompanhamento de um dentista, ela ocorre a partir dos seis anos onde já é possível identificar se há necessidade de usar aparelhos infantis, indicando a um especialista em ortodontia para esclarecer qualquer dúvida.

4.   Problemas bucais

Ao menor problema bucal, como dores ou sangramento deve-se procurar um dentista para verificar o que pode ser a causa do problema. Assim é possível corrigir eventuais problemas.

Portanto, a ida ao dentista deve ser realizada desde bebê para que a saúde bucal de futuros jovens, adultos e idosos seja garantida, trazendo consequentemente uma melhor qualidade de vida.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Vue Odonto, uma rede especializada em atendimento odontológico com enfoque na humanização.

Saúde na infância: cuidados com a saúde da criança

saúde na infância

Os cuidados quanto à saúde são essenciais para a qualidade de vida, bem-estar, longevidade e vitalidade. Contanto, a adesão de medidas e hábitos saudáveis deve ser uma prioridade desde a infância.

Desde a ação preventiva quanto a saúde da criança não deve se limitar aos serviços cobertos por planos odontológicos e de saúde, as boas práticas cotidianas devem ser pregadas desde os primeiros anos de vida, evitando complicações futuras.

Conheça os principais cuidados à saúde na infância.

Boa alimentação

A boa alimentação é um dos pilares da promoção de saúde e qualidade de vida. Logo, a boa seleção de alimentos e os cuidados quanto a uma dieta nutritiva e balanceada também deve estar presente no dia-a-dia da criança.

Substituir alimentos industrializados e com alto teor de gordura e com grande quantidade de açúcar por alimentos naturais e fontes ricas de nutrientes e vitaminas é a base de uma alimentação assertiva.

É por meio da boa alimentação que a criança poderá brincar com o organismo em bom funcionamento e com uma boa taxa energética.

Boa hidratação

A água é um recurso vital ao nosso corpo e o permite que funcione adequadamente, fazendo parte de 70% de sua composição.

Juntamente com a dieta saudável, a ingestão de água deve ser controlada e estabelecida de acordo com a necessidade do organismo da criança.

O consumo de água ideal para uma criança de 4 a 8 anos, por exemplo, geralmente é de 1,7 litros por dia, sendo assim, deve ser indicado pelo pediatra.

Prática de exercícios físicos

Assim como a alimentação e a hidratação determinam em que condições está o organismo, assim também é para a prática de exercícios físicos. A prática regular de exercícios físicos traz uma série de benefícios à saúde física e mental, e deve ser incentivada na infância.

Mesmo que a brincadeira possa reivindicar certa movimentação e gasto de energia, a prática de algum esporte é a principal fonte dos benefícios. Além do relaxamento, do fortalecimento dos ossos e músculos, a prática de atividade esportiva, principalmente na infância, favorece a sociabilidade e ajuda que a criança se relacione melhor.

Dentre outros valores que podem ser adquiridos pela prática de esporte estão o respeito às autoridades e as diferenças. O trabalho em equipe é um dos principais aprendizados do esporte.

Higiene bucal

Os cuidados com a higiene bucal também estão entre as boas práticas. A higiene bucal deve ser precisa e completa, contendo os seus três passos: a escovação, a passagem do fio dental e o uso do enxaguante bucal.

A escovação deve ser feita com um creme dental com flúor e acompanhada pela passagem do fio dental entre refeições. O uso do enxaguante bucal, por sua vez, deve ser diário, podendo ser logo após acordar ou ao se deitar.

Os cuidados com a saúde bucal, sendo uma prioridade desde cedo, previne complicações não só na arcada dentária, mas na saúde geral.

Visitas regulares ao pediatra

A consulta regular ao pediatra é uma das medidas que compõem a ação preventiva na infância. A visita ao pediatra é capaz de identificar um dano à saúde da criança em sua fase inicial e até mesmo identificar algum risco e preveni-lo e tratá-lo com antecedência.

Tendo em vista que o organismo da criança, assim como o dos idosos, possui ainda mais limitações e fragilidades, os cuidados à saúde geral são fundamentais para que tenham um desenvolvimento saudável.

Além do pediatra, profissionais como o dentista e o psicólogo também devem estar presentes na infância.

Vacinação

A vacinação também é uma vertente importante da ação preventiva, devendo ser uma das atenções. Seguir o calendário vacinal é uma maneira efetiva de evitar com que o bebê ou a criança contraia algum tipo de doença no futuro.

Estar atendo a esse calendário permite que as vacinas sejam recebidas na ordem adequada e que o hábito continue. As principais vacinas são oferecidas de forma gratuita pelo SUS, outras deve ser efetuada a compra caso recomendadas pelo pediatra.

Seja exemplo

É importante que para que os cuidados e medidas necessárias à vida saudável sejam mantidos no decorrer da vida, a criança tenha um exemplo, uma pessoa no qual espelhar. As crianças possuem a tendência de imitar as pessoas mais velhas.

Logo, se você quer que ela aprenda e leve seus ensinamentos com ela, seja exemplo. Além dos bons hábitos impactarem a saúde da criança de forma positiva, estarão impactando a sua com ainda mais intensidade e vantagem.