Febre Amarela

Em dezembro do ano passado, um surto de febre amarela teve início aqui no Brasil. A doença, possui dois ciclos de transmissão, o silvestre e o urbano, os casos notificados até agora são todos considerados de febre amarela silvestre, que podem ser transmitidas também nos limites entre as áreas urbanas e silvestres ou rurais, e nas áreas de ecoturismo com matas e rios.

Até o dia 23 de março o Ministério da Saúde já havia confirmado 492 casos da doença em território nacional. Foram ao todo 2.104 notificações recebidas, sendo que 1.101 ainda estão sendo investigadas e 511 foram descartadas. Minas Gerais, Estado onde iniciou-se o surto,  já conta com 375 casos. Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro possuem 109, 05 e 03 casos confirmados, respectivamente. Ao todo 162 mortes foram confirmadas, outras 95 ainda estão sendo analisadas.

O vírus da Febre amarela é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados, Haemagogus Sabethes, no ciclo silvestre, e Aedes Aegypti, no cilo urbano. Não existe transmissão direta de pessoa infectada a outra, deve-se ter sempre o mosquito como vetor. Como mostra a figura a seguir, no ciclo silvestre, os macacos (bugio e sagui) são os principais hospedeiros e amplificadores do vírus, mas os vetores são os mosquitos, que picam os macacos infectados e transmitem ao homem, ao picá-lo também. No ciclo urbano, o conhecido mosquito Aedes aegypti é o responsável pela transmissão da doença, o que tornaria o surto ainda mais preocupante, pois não há intermediários (macacos) e há uma abundância do mosquito.

Em média, o mosquito vetor se torna infectante de 9 a 12 duas após picar um ser humano doente, em períodos mais quentes este prazo pode ser menor. O período de transmissão começa um dia antes do início dos sintomas e vai até o terceiro ou quarto dia da doença.

Os principais sintomas da Febre amarela são: olhos amarelos, febre de início súbito, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo, em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.

Caso suspeite de algum desses sintomas, procure a unidade básica de saúde mais próxima para que sejam feitos exames diagnósticos e tratamento adequado.

A vacina contra a febre amarela é única maneira de prevenir contra a doença. Ela pode ser tomada em duas doses, com intervalo de 10 anos entre cada uma. Assista, a seguir, o vídeo do Ministério da Saúde que esclarece dúvidas sobre a vacinação e leia o folheto informativo mais a diante.

 

Confira aqui perguntas e respostas esclarecedoras do Ministério da Saúde sobre o tema.

Veja aqui os municípios conforme áreas de recomendação para vacinação contra a febre amarela.

Leia aqui o texto produzido pela FioCruz que explica com detalhes o surto que estamos vivendo.